Internacional

Sociedade: Jovem paquistanesa Malala e indiano Kailash Satyarthi vencem Prémio Nobel da Paz 2014

Agência Ecclesia
...

Santa Sé enviou os parabéns aos laureados

Oslo, 10 out 2014 (Ecclesia) - O Prémio Nobel da Paz foi atribuído hoje à ativista paquistanesa Malala e ao indiano Kailash Satyarthi, um anúncio feito pelo presidente do Comité Norueguês do Nobel, Thorbjoern Jagland.

Malala Yousafzai, de 17 anos, é a mais jovem de sempre a receber um Nobel, que reconhece o compromisso dos dois laureados contra a exploração das crianças e pelo direito dos menores à educação.

A Santa Sé enviou os "parabéns" aos premiados  durante a abertura de uma conferência de imprensa sobre a I Guerra Mundial, pouco após o anúncio dos nomes, e, através da rede social Twitter, saudou em particular a ativista paquistanesa.

O porta-voz do Vaticano, padre Federico Lombardi, disse depois aos jornalistas que estas duas figuras são "muito significativas", deixando votos de que o Nobel da Paz seja "um apoio para as causas positivas que representam".

O Comité Nobel elogia Malala por ter "mostrado, através do exemplo, que as crianças e os jovens também podem contribuir para melhorar as suas próprias situações" e pela sua “luta heroica".

Kailash Satyarthi, ativista pelos direitos das crianças, é também elogiado pela sua "grande coragem pessoal" e o comité de Oslo considera que o indiano de 60 anos se tem distinguido pela manutenção da "tradição de Gandhi".

O comité destacou ainda o facto de ter atribuído o Nobel da Paz de 2014 a um hindu e uma muçulmana, símbolos da "luta comum pela educação e contra o extremismo”.

Em dezembro de 2013, o Vaticano divulgou o documento ‘Educar para o diálogo intercultural na Escola Católica. Viver juntos para uma civilização do amor’, da Congregação para a Educação Católica (CEC), organismo da Santa Sé.

O prefeito da CEC, cardeal Zenon Grocholewski, evocou então os “sofrimentos” das 70 milhões de crianças que segundo dados da UNICEF (2013) não vão à escola e citou, a esse respeito, a jovem paquistanesa Malala, alvo de um ataque dos talibãs a 9 de outubro de 2012, quando voltava a casa num autocarro escolar, que a colocou em perigo de vida.

O prefeito da CEC afirmou que o direito de “todas as crianças a uma instrução justa” é “demasiadas vezes descurado quando se trata de meninas”, falando em fatores “muito preocupantes” que ameaçam a educação.

O Comité Nobel Norueguês recebeu 278 candidatos para o Prémio Nobel da Paz 2014, incluindo 47 organizações, o que representa o maior número de sempre.

O Nobel da Paz é atribuído anualmente em Oslo, capital da Noruega, a 10 de dezembro, data de aniversário da morte do mentor destes prémios, Alfred Nobel.

OC

Notícia atualizada às 12h45



Educação