Internacional

Vaticano: Santa Sé destina 500 mil dólares ao restauro do Santo Sepulcro, em Jerusalém

Agência Ecclesia
...
Foto: Lusa
Foto: Lusa

Congregação para as Igrejas Orientais apela à solidariedade para com os cristãos da Terra Santa

Cidade do Vaticano, 18 mar 2017 (Ecclesia) – A Santa Sé anunciou hoje que vai destinar 500 mil dólares às obras de restauro em curso na Basílica do Santo Sepulcro, em Jerusalém, depois de ter feito o mesmo na Basílica da Natividade, em Belém.

As obras em curso no templo que assinala o local da sepultura e ressurreição de Jesus centram-se agora na área em volta da edícula do Santo Sepulcro.

A informação acompanhou hoje a divulgação da carta que a Congregação para as Igrejas Orientais (Santa Sé) enviou aos bispos de todo o mundo por ocasião da coleta anual destinada à Terra Santa, assinada pelo cardeal Leonardo Sandri e pelo arcebispo Cyril Vasil’, respetivamente prefeito e secretário do dicastério.

“Sabemos que hoje não é fácil viver a fé no Médio Oriente. De um modo especial não o é no Iraque, na Síria e no Egito, onde a comunidade cristã tem feito a experiência do ecumenismo do sangue, e onde cada fiel deve lutar cada dia contra a tentação de abandonar a própria terra e mesmo a própria fé”, recordam.

A recolha de donativos acontece, tradicionalmente, durante as celebrações da Sexta-feira Santa.

“A pequena presença cristã no Médio Oriente tem, por isso, necessidade de sentir o apoio e a proximidade de toda a Igreja”, pode ler-se.

A missiva evoca “formas de pressão e de discriminação” a que os cristãos são sujeitos, com consequências para as suas condições de vida e de permanência na sua terra.

Os responsáveis da Santa Sé recordam que na Terra Santa continuam presentes comunidades cristãs, “de um modo ininterrupto através dos séculos, mesmo a custo de grandes sacrifícios e martírios”.

“O sentido de comunhão em Cristo morto e ressuscitado por nós, leva-nos a promover, também este ano, a importante iniciativa de uma Coleta para a Terra Santa, manifestando a união fraterna que une a Igreja Universal com aquela Igreja Mãe”, explica a carta.

A Congregação para as Igrejas Orientais explica ainda que “graças à generosa oferta de tantos católicos e não só”, os trabalhos de restauro das Basílicas da Natividade e do Santo Sepulcro, “património comum da Cristandade, estão a concluir-se no prazo previsto e com os melhores resultados possíveis”.

A Santa Sé divulgou ainda um relatório sobre os donativos recebidos em 2015-16 e a sua aplicação no terreno.

OC