Nacional

Algarve: Escuteiros desafiados a encontrar o «maior tesouro» na entrega ao outro

Agência Ecclesia
...
Foto: Samuel Mendonça/Folha do Domingo
Foto: Samuel Mendonça/Folha do Domingo

Faro, 17 fev 2017 (Ecclesia) – Os pioneiros e marinheiros do Corpo Nacional de Escutas (CNE), na Diocese do Algarve, celebraram o seu dia com um imaginário centrado no Beato Pier Giorgio Frassati que desafiou a encontrar o “maior tesouro”, num acampamento e numa caminhada.

Em informação enviada à Agência ECCLESIA, a secretária regional pedagógica da III secção da Junta Regional do Algarve do CNE explicou que os jovens dos 14 aos 18 anos em cada posto foram “confrontados com falsos tesouros” tais como poder, fama, abundância de comida e bebida, bens materiais e beleza exterior.

“A ideia é que no fim percebam que estes não são os verdadeiros tesouros, mas sim, a exemplo de Pier Giorgio Frassati, o que conseguimos dar ao outro. As nossas virtudes, postas ao serviço do outro, é que são o verdadeiro tesouro”, disse a chefe Rita Pascoal ao jornal diocesano ‘Folha do Domingo’.

Neste contexto, os pioneiros e marinheiros - respetivamente dos ramos terrestre e marítimo do movimento – realizaram vários jogos de cooperação que valorizam” o ajudar o outro, o puxar pelo outro, o motivar o outro ou o ensinar o outro”, no Parque de Feiras e Exposições de Tavira.

Pier Giorgio Frassati foi uma das personalidades escolhidas pela Junta Central do CNE como modelo para 2017 apresentando-o como “um jovem plenamente comprometido no serviço aos irmãos, tanto a assistência sócio caritativa como no compromisso político”.

“Sendo uma figura jovem e não muito conhecida, achámos que seria importante divulgá-la”, acrescentou Rita Pascoal, adiantando que o campo escutista foi dividido em vários subcampos, cada um com uma das virtudes do modelo escutista.

O jovem leigo Pier Giorgio Frassati (1901-1925) nasceu em Turim e foi beatificado pelo Papa São João Paulo II, em 1990, que o indicou como o “homem das oito bem-aventuranças”.

O beato italiano que se dedicou desde muito novo a várias obras sociais, de caridade e religiosas distinguiu-se nas Conferências de São Vicente de Paulo e na Ação Católica.

Os pioneiros e marinheiros celebraram o seu dia - da III Secção do Corpo Nacional de Escutas – a 11 e 12 de fevereiro e segundo o jornal ‘Folha do Domingo’ “devido à intempérie” o raide e a caminhada exterior, respetivamente sábado e domingo, tiveram de ser cancelados realizaram-se no Parque de Feiras e Exposições de Tavira.

A atividade terminou com a celebração da Eucaristia, presidida pelo assistente regional do CNE o padre Nelson Rodrigues, onde foi entregue a virtude que coube a cada subcampo.

A Diocese do Algarve conta com cerca de 2 mil e 200 escuteiros em 33 agrupamentos, e cerca de 450 são caminheiros e companheiros, contabiliza o jornal diocesano.

O maior movimento juvenil em Portugal está presente nas 20 dioceses territoriais e regista um efetivo de 73 mil associados – 59 mil crianças e jovens e 14 mil adultos.

O Corpo Nacional de Escutas foi fundado por D. Manuel Vieira de Matos, arcebispo de Braga, no dia 27 de maio de 1923.

CB