Nacional

Coimbra: «Quanto vale uma moeda para quem precisa?», é o desafio da Cáritas Diocesana

Agência Ecclesia
...

Instituição promove hoje performance de rua pelas 12h30, no Largo da Portagem

Coimbra, 23 fev 2016 (Ecclesia) – A Cáritas Diocesana de Coimbra lançou a iniciativa ‘Quanto vale uma moeda para quem precisa?’, que desafia a generosidade dos portugueses para o Peditório Público Nacional, entre 25 a 28 de fevereiro, realizado na Semana Nacional Cáritas.

“Precisamos do envolvimento de todos, precisamos de uma sociedade participativa que encare a pobreza como um problema comum e que esteja disponível para participar na sua resolução”, assinala o comunicado enviado à Agência ECCLESIA.

Para “motivar” ao peditório que começa esta quinta-feira, utentes e técnicos dos grupos de teatro da instituição e músicos da cidade vão dinamizar hoje uma performance de rua, pelas 12:30, no Largo da Portagem.

O Peditório Público Nacional decorre até 28 de fevereiro, realizado na Semana Nacional Cáritas, e na Diocese de Coimbra vão ser “milhares de voluntários” em 60 locais e a ajuda dos portugueses é usada em despesas como água, luz, géneros alimentares.

Por isso, a Cáritas diocesana até ao ‘Dia Cáritas’, celebrado estae domingo, vai “informar, provocar reflexões, incentivar ao voluntariado” e pedir apoio direto para poderem “fazer mais” por quem precisa.

A Cáritas Diocesana de Coimbra assinala 25 anos no trabalho de Luta Contra a Pobreza, em 2016.

“Durante este período tem desenvolvido uma ação centrada, não apenas na vertente da caridade, mas essencialmente na promoção das pessoas e das comunidades, para que estas melhor consigam responder aos desafios de cada tempo”, contextualiza no comunicado.

Contudo, a instituição de caridade alerta que este trabalho “nunca se encerra” e hoje “não se está melhor do que ontem”.

O resultado do peditório vai apoiar pessoas em situação de pobreza e/ou exclusão social, através do Centro de Apoio Social (CAS), da Cáritas de Coimbra.

Segundo a instituição caritativa, em 2015, o CAS apoiou 2374 pessoas (905 famílias) com mais de 41 mil euros (41.507,41), aos quais acrescem ainda diferentes tipologias de apoios em bens - alimentares, vestuário e calçado, material escolar, etc.

No ano passado, acrescenta ainda a Cáritas Diocese de Coimbra, o peditório totalizou 26.598,04 euros e envolveu “mais de 500 voluntários”.

Segundo o Departamento de Inovação, Comunicação e Projetos o desafio - ‘Quanto vale uma moeda para quem precisa?’ - pode ser acompanhado no seu sítio na internet, na página na rede social Facebook e sempre em comunicar@caritascoimbra.pt.

CB/OC