Nacional

«Europa Nostra»: Igreja e Torre dos Clérigos são embaixadores de «bons procedimentos e boas intervenções»

Agência Ecclesia
...

Galardão da União Europeia para o Património Cultural foi atribuído na Finlândia

Helsínquia, 16 mai 2017 (Ecclesia) – O presidente da Irmandade dos Clérigos disse que a atribuição do prémio ‘Europa Nostra 2017’ é “importante” por promover maior “visibilidade” e exige aos responsáveis desta instituição que sejam “proativos” embaixadores dos bons procedimentos.

“Ficamos muito contentes pelo facto de, no encontro que tivemos na Finlândia, ver quanto o júri apreciou a intervenção, apreciou muito aquilo que foi fruto do esforço de tantos e tantos trabalhadores que devolveram os Clérigos à cidade, ao país e ao mundo”, referiu hoje o padre Américo Aguiar à Agência ECCLESIA.

O responsável recebeu esta segunda-feira na cidade de Turku, Finlândia, o prémio ‘Europa Nostra 2017’, um galardão da União Europeia para o Património Cultural que distinguiu o projeto de reabilitação do monumento portuense.

Em 2016, os Clérigos tiveram a visita de mais de 600 mil pessoas, das quais 85% eram estrangeiros.

Segundo o padre Américo Aguiar a distinção “é motivo de alegria” também para todos aqueles que “são sensíveis à importância do património cultural, da sua preservação, do seu restauro”.

A igreja e Torre dos Clérigos, na Diocese do Porto, foram premiadas na ‘Categoria Conservação’ na edição de 2017 do prémio ‘Europa Nostra’, pelo projeto de “restauro abrangente”.

Durante a intervenção foi feita a recuperação da igreja, do edifício central e da torre, permitindo a multiplicação de ofertas culturais, o acesso à ‘Coleção Christus’, a abertura do Salão Nobre, Enfermaria, a Sala do Despacho e a sacristia, inacessíveis ao público há 250 anos.

O júri do prémio ‘Europa Nostra’ destacou que a abordagem interdisciplinar aplicada ao projeto “foi exemplar e recuperou de forma notável” o “importante marco do centro histórico do Porto”, que é Património Mundial da UNESCO, “para as presentes e futuras gerações”.

O júri realçou também que a equipa do projeto conseguiu um “equilíbrio entre a investigação e as técnicas de restauro tradicionais de alta qualidade”, e foi sem dúvida uma tarefa complexa.

Para o presidente da Irmandade dos Clérigos é “muito importante” que exista o costume de apresentar Portugal nos contextos europeus do ‘Europa Nostra’, porque há muitos “bons exemplos” e intervenções que podiam ser referência de norte a sul do país e lembrou que a Catedral e o Museu Diocesano de Santarém também foram distinguidos em 2016.

Para além do Prémio ‘Europa Nostra’, o ex-líbris da Diocese do Porto já recebeu, por exemplo, o Prémio Vasco Vilalva, da Fundação Calouste de Gulbenkian.

“Devemos ser embaixadores dos bons procedimentos e das boas intervenções”, realça o padre Américo Aguiar.

A Torre dos Clérigos vai assinalar o Dia Internacional dos Museus, esta quinta-feira, e a Noite Europeia dos Museus, dois dias depois.

CB/OC



Património