Nacional

Leigos/Portugal: «Há muito a fazer por uma sociedade mais justa, fraterna, solidária e feliz» - Bispo de Viseu

Agência Ecclesia
...
Foto Agência ECCLESIA/PR
Foto Agência ECCLESIA/PR

D. Ilídio Leandro presidiu à Missa de encerramento do IV Encontro Nacional de Leigos

Viseu, 18 nov 2017 (Ecclesia) – O bispo de Viseu afirmou na Eucaristia de encerramento do IV Encontro Nacional de Leigos que “muito se tem brincado e experimentado” com a natureza e que “há  muito a fazer por uma sociedade mais justa, fraterna”.

 “Hoje, não faltando informação e sendo ela tão clara sobre o muito que há a fazer por uma sociedade justa, fraterna, solidária e feliz, não temos direito a esperar oportunidades mais urgentes de compromisso”, disse D. Ilídio Leandro.

“Não adiemos a esperança. Não desiludamos as pessoas. A justiça e a paz caminham juntas no coração de Deus que ama as pessoas uma a uma”, referiu lembrando o tema do Encontro Nacional de Leigos, que decorreu este sábado.

O IV Encontro Nacional de Leigos foi promovido pela Conferência Nacional das Associações de Apostolado de Leigos este sábado, em Viseu, sobre o tema  “Este é o tempo - para esperar contra toda a esperança, para trabalhar pela justiça e pela paz, para amar as pessoas, para amá-las uma a uma”.

Na Missa de encerramento, o bispo de Viseu alertou para “até onde” poderá ir a “tolerância da criação” e o “equilíbrio” que permita “viver em paz, em saúde e em harmonia”.

“Não durmamos com os dons que recebemos sem os colocar ao serviço do bem comum”, afirmou.

“Estejamos vigilantes e atentos à hora que vivemos e às necessidades justas dos irmãos. Por todos somos interpelados e o facto de sermos cristãos põe-nos em dívida para com todos, quaisquer que eles sejam”, acrescentou.

Para o bispo de Viseu o tempo de contribuir para um mundo melhor coloca-se a muitos níveis, “desde o clima e os atentados à natureza, à injustiça e desequilíbrio gritante no ecossistema humano, à indiferença para com atentados de todo o género à vida e a salutar realização de cada pessoa e de cada família”.

“Vivemos o presente com os olhos e o coração no futuro”, disse D. Ilídio Leandro

O bispo de Viseu disse aos participantes no IV Encontro Nacional de Leigos que não devem ser “calmantes para adormecer consciências ou legítimas faltas de empenho e compromisso” na “transformação e mudança” do é necessário “fazer no aqui e no agora da vida”.

O bispo de Viseu lembrou que a Igreja Católica em Portugal celebra a semana dos Seminários, que termina este domingo, quando se assinala pela primeira vez o Dia Mundial dos Pobres, por iniciativa do Papa Francisco, que “interpela a todos”.

PR