Nacional

Lisboa: D. Manuel Clemente assinala Santo Condestável defendeu «os seus sem ofender os outros»

Agência Ecclesia
...
Estátua de Santo Condestável, em Lisboa
Estátua de Santo Condestável, em Lisboa

D. Nuno Álvares Pereira foi homenageado em estátua inaugurada no Restelo

Lisboa, 07 nov 2016 (Ecclesia) – O cardeal-patriarca de Lisboa disse que o Santo Condestável simboliza o que “melhor tem Portugal no seu passado, no presente e aspira a ter no futuro”, na inauguração de uma estátua de São Nuno de Santa Maria, este domingo, no Restelo.

“De forma cristã, D. Nuno Álvares Pereira soube defender os seus sem ofender os outros. Foi admirado com deslumbramento, mesmo pelos seus adversários”, referiu D. Manuel Clemente, divulga o Jornal diocesano ‘Voz da Verdade’.

O prelado observou que D. Nuno Álvares Pereira é também exemplo de “afirmação do que é cada um” e soube avançar “ir por diante quando muitos recuaram”.

“Ele fez da vitória uma realidade pessoal indo até onde nenhum ser humano pode ir”, acrescentou.

Antes de abençoar a estátua, o cardeal-patriarca de Lisboa assinalou que o Santo Condestável representa o “melhor que Portugal tem do passado para o presente e para o futuro” em termos de convicção, “de exercício prático dessa convicção”.

Segundo o prelado, a inauguração da estátua do Santo Condestável foi um momento de “perfeita justiça” porque a cidade e o país pediam “há muito” que se erguesse uma estátua que o lembrasse a vários títulos.

“A cidade de Lisboa sentirá mais sua e a continuará a sentir como propósito de nós todos aquilo que foi e continua a ser o seu testemunho e a sua herança”, observou D. Manuel Clemente

O presidente da República Portuguesa, Marcelo Rebelo de Sousa, e o presidente da Câmara Municipal de Lisboa, Fernando Medina, inauguraram a estátua de São Nuno de Santa Maria no seu dia litúrgico, antes da bênção do cardeal-patriarca.

“Fez uma Pátria. Fez pelas armas e pela doação comunitária, como que a dizer-nos que um Portugal efetivamente independente só o é se a determinação de lutar por essa independência for constante e consequente, mas também se a independência chegar às pessoas – a cada um e a todos – em particular aos que mais precisam, que o mesmo é dizer, for uma independência com justiça social”, disse Marcelo Rebelo de Sousa.

Da autoria do escultor Augusto Cid, a estátua foi inaugurada este domingo no Jardim Ducla Soares, no topo da avenida da Torre de Belém, em Lisboa, foi inscrita no Orçamento Participativo da Câmara Municipal local, em 2013, e “obteve o apoio do povo” da capital portuguesa, explicou a Comissão de São Nuno de Santa Maria.

Em informações enviadas à Agência ECCLESIA, a comissão informa que foi constituída no ano da Canonização do Condestável sob o patrocínio da Ordem do Carmo em Portugal e tem como objetivo celebrar a sua figura e divulgar a sua vida e obra.

D. Nuno Álvares Pereira foi o oitavo santo do catolicismo português e o seu percurso biográfico está intimamente relacionado com a História de Portugal, a sua independência e a consolidação da nacionalidade.

Nascido a 24 de junho de 1360, em Cernache do Bonjardim, Nuno Álvares Pereira recebeu o título de «Condestável do Reino» devido aos méritos na guerra de 1385 entre Portugal e Castela e faleceu em 1431, no Carmo em Lisboa.

Nuno de Santa Maria foi canonizado pelo agora Papa emérito Bento XVI no dia 26 de abril de 2009, na Praça de São Pedro, no Vaticano.

PR/CB



Diocese de Lisboa Santo Condestável