Nacional

Madeira: Diocese encerra comemoração dos 500 anos de criação e inaugura monumento evocativo

Agência Ecclesia
...
Diocese do Funchal
Diocese do Funchal

D. António Carrilho elogia percurso de celebrações e apela a «intensificar» atenção pelos mais necessitados

Funchal, Madeira, 08 dez 2014 (Ecclesia) – A Diocese do Funchal encerra hoje as celebrações dos 500 anos da sua criação com uma Missa e a inauguração de um monumento alusivo à efeméride, no jardim do Almirante Reis.

A inauguração e bênção do ‘Monumento dos 500 anos da Diocese do Funchal’ realiza-se às 12h00, no Jardim do Almirante Reis, refere um comunicado enviado à Agência ECCLESIA.

“Trata-se de uma das zonas mais antigas da cidade, local de referência para muitos que aqui chegaram, desembarcaram e para tantos outros que daqui partiram levando consigo a fé e as tradições religiosas da nossa terra”, escreveu D. António Carrilho, bispo do Funchal, na Mensagem Pastoral sobre o encerramento das comemorações.

A Missa na Sé do Funchal começou às 10h00, com transmissão em direto pela RTP-Madeira, RTP (Canal 1), RTP-Internacional e RTP-África.

A celebração contou com a presença de centenas de fiéis, para além de autoridades religiosas, civis e militares da Madeira.

A homilia do bispo do Funchal sublinhou que o ciclo de celebrações proposto nos últimos anos procurou "a renovação pastoral" e a "comunhão eclesial", convidando "ao louvor e ação de graças" por este percurso.

O prelado falou numa "crise generalizada dos valores", com "repercussões graves" que tornam a sociedade "mais pobre e vulnerável".

A intervenção aludiu ainda à devoção a Nossa Senhora em todo o território português, referindo que "se a Madeira, na sua identidade religiosa, nasceu franciscana, também é verdade que nasceu mariana", dando como exemplo as chamadas 'Missas do Parto' que preparam o Natal, no arquipélago.

"Perante as situações de carência e de dificuldades com que muitos se debatem, é importante que estas Missas do Parto intensifiquem a caridade de todos para com os mais pobres", apelou.

A celebração evocou também os 80 anos da fundação do escutismo na Madeira. 

Esta segunda-feira celebra-se a Solenidade da Imaculada Conceição, Rainha e Padroeira de Portugal e D. António Carrilho pede que a Virgem Maria abençoe “todas as famílias”, acompanhe a Diocese do Funchal e “proteja no caminho” que querem percorrer como “Igreja em Missão” e comprometidos nos “desafios da sociedade atual, anunciando e testemunhando a ‘alegria do Evangelho’”.

A diocese foi criada pelo Papa Leão X, com a bula ‘Pro Excelenti Praeminentia’, a pedido de D. Manuel I, no dia 12 de junho de 1514, e a 31 de janeiro de 1533 o Papa Clemente VII elevou o bispado do Funchal a arcebispado, dando-lhe um território, o mais vasto dado até hoje a uma diocese, que incluía todas as terras ‘descobertas e por descobrir’ pelos navegadores portugueses.

CB/OC

Notícia atualizada às 11:00



Diocese do Funchal