Nacional

Paços de Ferreira: Sílvia Cardoso foi «missionária itinerante» da misericórdia

Agência Ecclesia
...
AE
AE

Bispo do Porto recorda figura da venerável que vai ser trasladada este domingo

Paços de Ferreira, Porto, 02 abr 2016 (Ecclesia) – O bispo do Porto enaltece a vida e obra da “criativa D. Sílvia”, uma apostola da Misericórdia que trouxe à diocese e ao país uma criatividade e um impulso invulgar para o seu tempo.

Em véspera da trasladação dos restos mortais de Sílvia Cardoso, D. António Francisco dos Santos fala de uma mulher que “faleceu há 66 anos" mas continua a ser atual e um modelo do “viver e ser Igreja”.

O domingo da Misericórdia foi o dia escolhido para a trasladação, por “haver uma identificação muito grande entre a vida, trabalho e a missão da D. Sílvia Cardoso e este ano santo”, bem como o gesto “é uma marca importante na vida da diocese, o processo e a causa da beatificação e canonização é um processo diocesano.”

Depois porque “Sílvia Cardoso foi uma grande apostola da Misericórdia e foi já declarada venerável pelo Papa Francisco aliás, foi mesmo um dos primeiros atos do seu pontificado, a 27 de março de 2013”, explicou o prelado em declarações à Agência ECCLESIA.

Sílvia Cardoso nasceu em Paços de Ferreira em 1880 e foi mentora de muitas obras sociais e casas de espiritualidade, não só no norte mas por todo o país, nomeadamente Lisboa e Alentejo.

“Não se prendeu ao que criou, foi semeando pelo país e entregando; aí também há criatividade, ousadia e despojamento”, afirmou o bispo do Porto.

D. António Francisco realçou ainda três dimensões da personalidade de Sílvia Cardoso: a caridade, a formação e a itinerância: “A caridade, ela procurou fazer o bem aos pobres: D. Sílvia era de família com recursos económicos, mas soube reparti-los e distribuí-los, soube colocar a fortuna de família ao serviço dos que mais precisavam”.

“Na formação, ela sentia que Portugal precisava de formação dos leigos, sobretudo das gerações mais novas, e dedicou-se à iniciativa de retiros espirituais e aos centros de formação”, acrescenta.

“Depois a terceira dimensão, muito particular, ela era itinerante, ela sabia que a Igreja é missão e isso vem ao encontro do lema do nosso plano pastoral diocesano: fazer da “alegria do evangelho” a nossa missão e proclamar as bem-aventuranças”, refere ainda D. António Francisco dos Santos.

O início da cerimónia de trasladação está marcado para as 15h00 no cemitério de Paços de Ferreira, com o cortejo a seguir para o Pavilhão Municipal onde será celebrada uma eucaristia.

Os restos mortais de "Dona Sílvia" serão depois colocados na igreja paroquial de Paços de Ferreira.

A partir das 14h00, a Agência ECCLESIA vai transmitir em direto na internet os vários momentos desta cerimónia, assim como depoimentos sobre Sílvia Cardoso.

IM/SN



Diocese do Porto