Nacional

Jubileu: Bispo do Porto destaca «lufada de nova missão»

Agência Ecclesia
...

D. António Francisco dos Santos convida diocese à celebração de encerramento do Ano da Misericórdia

Porto, 18 nov 2016 (Ecclesia) – O bispo do Porto convidou a diocese a celebrar a conclusão do Jubileu este domingo na Missa das 16h00, na Sé da cidade, e recorda as "vidas transformadas pela misericórdia de Deus” neste Ano Santo extraordinário.

“Percebemos bem como a Igreja precisava desta lufada de nova missão que irrompe da misericórdia divina, acolhida e traduzida na vida de todos os dias. E não nos surpreende a alma aberta do mundo que acolheu esta iniciativa do Papa Francisco com alargada aprovação e atento interesse”, assinala D. António Francisco dos Santos.

Na mensagem-convite à diocese, em nome também dos bispos auxiliares, o prelado considera que todos precisavam do Jubileu Extraordinário e “de quanto ele trouxe de bênção, de compaixão e de apelo a vidas transformadas”.

“Trouxe-nos este Jubileu a valorização de uma urgente cultura do encontro, da proximidade, da compaixão e da misericórdia. Abriu à Igreja caminhos novos de uma pastoral próxima, atenta a todos e capaz de fazer chegar a cada pessoa esta certeza única de que Deus nos ama como Pai”, desenvolve, num texto divulgado através da página da diocese na internet.

D. António Francisco dos Santos escreve que a Eucaristia deste domingo vai ser para todos - diocesanos, presbíteros, diáconos, consagrados (as) e leigos(as) - uma bênção “na comunhão da mesma fé, na unidade da Igreja e na gratidão pelo bem por todos realizado”, desde 8 de dezembro de 2015, ou seja, “ao longo do Jubileu da Misericórdia”.

O convite, também em nome dos bispos auxiliares D. António Augusto Azevedo, D. António Maria Bessa Taipa e D. Pio Alves, é para um “momento de ação de graças e de envio em missão”.

Na mensagem, o prelado recorda as Santas Casas da Misericórdia e tantas outras instituições que se sentiram “particularmente envolvidas e motivadas” pelo apelo do Papa Francisco: “Que assim continuem com o gesto de presença na Catedral neste dia e com a sua ação diariamente realizada para bem de todos nós.”

Este domingo, no Porto vão celebrar também a instituição de ministérios de seis Leitores e de seis Acólitos a caminho do presbiterado e de três Acólitos em ordem ao diaconado permanente.

Na mensagem, D. António Francisco dos Santos destaca sobre os jubileus que as razões que os determinaram, as motivações que lhes deram sentido “no coração de cada Papa” e a bênção que trouxeram à Igreja “devem permanecer e continuar para lá do tempo circunscrito da sua realização”.

CB/OC



Diocese do Porto Jubileu da Misericórdia