Nacional

Óbito/Porto: Bispos recordam vida de amizade e dedicação de D. António Francisco dos Santos

Agência Ecclesia
...
Foto: Agência ECCLESIA/PR
Foto: Agência ECCLESIA/PR

Diálogo marcou o contributo relevante que deu nos trabalhos da Conferência Episcopal Portuguesa

Porto, 13 set 2017 (Ecclesia) – A Diocese do Porto despediu-se hoje do seu bispo, D. António Francisco dos Santos, que faleceu na última segunda-feira, numa cerimónia com a presença de vários bispos que participaram na cerimónia lembrado a sua dedicação, amizade e bondade.

Em declarações à Agência ECCLESIA, o bispo da Diocese de Leiria-Fátima refere que guarda de D. António Francisco dos Santos primeiro “a memória de um amigo do coração” com quem partilhava “a vida pessoal, a vida da Igreja e da sociedade”.

D. António Marto lembra o “testemunho de bispo próximo do seu povo”, que entrou no seu coração, e tinha “cheiro a ovelhas”, como pede o Papa Francisco.

Neste contexto, destaca a “sensibilidade pastoral” do falecido bispo do Porto, “concretamente, o impulso missionário” que estava a imprimir à diocese nortenha “cheio de alegria e de entusiasmo”.

O prelado, vice-presidente da Conferência Episcopal Portuguesa, é de realçar o “contributo” de D. António Francisco dos Santos no campo educativo – “da fé, das escolas católicas, da aula de Educação Moral e Religiosa Católica onde era perito” – e, agora, como para presidente da Comissão Episcopal da Pastoral Social.

“É uma memória cheia de gratidão e inspiradora. Era a bondade por excelência”, conclui D. António Marto sobre o bispo do Porto.

Já o bispo de São Tomé e Príncipe, natural da Diocese de Lamego como D. António Francisco dos Santos, lembra que a “amizade” c do tempo do seminário.

“Estou aqui sobretudo para exprimir solidariedade de amigo”, disse D. Manuel António dos Santos.

De D. António Francisco dos Santos assinala “um homem bom que se dedicava a 100% aos projetos”, recordando que participaram os dois em assembleias da conferência episcopal: o agora bispo de São Tomé e Príncipe era presidente dos Institutos Religiosos e D. António Francisco dos Santos bispo auxiliar de Braga.

O bispo de Santarém relembrou, por sua vez, que conheceu D. António Francisco dos Santos quando estava a estudar em Roma e o falecido bispo do Porto em Paris.

D. Manuel Pelino recorda o “homem próximo” que “gostava muito de ouvir”, bem como os seus “conselhos sábios”.

“Fugia sempre do palco e sabia orientar aqueles que mandava para a frente”, acrescenta sobre D. António Francisco dos Santos com quem trabalhou na área da Educação Cristã.

D. António Francisco dos Santos era natural de Tendais, no Concelho de Cinfães (Diocese de Lamego), foi ordenado bispo em março de 2005 e presbítero em dezembro de 1972.

O Papa Francisco nomeou-o bispo do Porto em fevereiro de 2014, sucedendo a D. Manuel Clemente, e tomou posse a 5 de abril do mesmo ano; Para a Diocese de Aveiro foi escolhido pelo Papa emérito Bento XVI, em setembro de 2006 tendo tomado posse a 8 de dezembro.

PR/CB