Nacional

Portugal: Austeridade agravou exclusão, revela estudo da Cáritas

Agência Ecclesia
...
DR.
DR.

Organização católica divulga hoje relatório anual sobre os desafios da pobreza e inclusão social

Lisboa, 03 mar 2016 (Ecclesia) – A Cáritas revela hoje o seu mais recente relatório sobre Portugal, no qual se afirma que as medidas de austeridade agravaram a pobreza e a exclusão, propondo medidas para “alcançar a inclusão ativa”.

“Este é um documento que deixa algumas recomendações para que os decisores políticos possam ultrapassar estes grandes desafios, provenientes das medidas de austeridade que enfraqueceram os pilares de inclusão ativa agravando a pobreza e a exclusão social em Portugal”, explica a Cáritas Portuguesa, em comunicado.

O secretário-geral da Cáritas Europa vai participar na apresentação do documento sobre os desafios da pobreza e inclusão social, o ‘Caritas Cares Country Report 2015’, hoje, pelas 11h00, no espaço Atmosfera M, em Lisboa.

Marcam ainda presença Eugénio Fonseca, presidente da Cáritas Portuguesa, e Francisco Vaz, membro da direção nacional da Cáritas e responsável pela Unidade de Estudos e Instrumentos Sociais da Cáritas Portuguesa.

O documento indica os três “principais desafios” de Portugal relacionadas com a pobreza e a exclusão social: “Menos pessoas têm acesso a apoio adequado ao rendimento; a reforma do mercado de trabalho piorou as condições de trabalho; a disponibilidade e a acessibilidade territorial limitam atualmente o acesso a serviços de qualidade”.

Neste contexto, a Cáritas Portuguesa desenvolve recomendações ao Governo que passam por “apoio adequado ao rendimento”, “mercado de trabalho inclusivo e “acesso a serviços de qualidade”.

A organização católica revela ainda que “atingiu um total de 160 608 beneficiários”, em 2014, e alerta que os problemas que “mais preocupam” são as “novas formas de pobreza, pobreza no trabalho e pobreza rural”.

Neste âmbito, os grupos de risco com “maior necessidade” de uma ação política são as crianças, os desempregados de longa duração, as pessoas com deficiência; pessoas com maior necessidade de cuidados e os jovens.

A Cáritas Portuguesa denúncia também que o acesso aos direitos “é limitado” para as pessoas em risco de pobreza e exclusão social em Portugal, e exemplifica: “Direito a uma pensão; habitação; educação; aos cuidados de saúde; remuneração justa e a condições justas e favoráveis de trabalho; direito de acesso justiça”.

O braço caritativo da Igreja Católica sublinha que relatório anual sobre os desafios da pobreza e inclusão social em Portugal, 'Caritas Cares Country Report', é “mais” do que uma apresentação dos “principais problemas” que afetam a sociedade portuguesa e dos grupos em “risco de pobreza e de exclusão social”.

O Caritas Cares Country Report 2015 pode ser consultado online, em inglês.

CB/OC



Caritas