Nacional

Setúbal: Clínica Social Dentária pretende «restituir a dignidade» às pessoas

Agência Ecclesia
...
CB/Agência Ecclesia
CB/Agência Ecclesia

Clínica vai funcionar nas instalações da igreja de Nossa Senhora da Conceição

Setúbal, 25 jul 2015 (Ecclesia) – A Paróquia de Nossa Senhora da Conceição, na Diocese de Setúbal, inaugurou uma Clínica Social Dentária, esta sexta-feira, para trazer “mais dignidade” e “alegria” à vida de quem por inúmeras razões não consegue tratar da sua saúde oral.

“No fundo é para trazer mais dignidade à vida das pessoas que fizemos avançar o projeto, que acreditamos nele e que fizemos nascer com o apoio de tantas pessoas”, revela o padre Constantino Alves.

À Agência ECCLESIA, o pároco da igreja de Nossa Senhora da Conceição destaca também motivações humanistas, “porque ninguém pode ficar insensível ao sofrimento e aos dramas dos outros homens”, e razões da fé e do Evangelho subjacentes ao projeto da Clínica Social Dentária (CSD).

“Se o cristianismo perder o sentido da solidariedade é como termos uma religião sem o próprio Cristo. Que os pobres devem estar no centro da Igreja”, recorda ainda o sacerdote sobre os apelos do Papa Francisco.

O padre Constantino Alves explica que a ideia surgiu em conversa com o atual diretor clínico – o cirurgião José Rafael – e um colaborador da paróquia, em setembro de 2014.

Neste momento, a CSD já tem seis dentistas voluntários, que o diretor clínico conseguiu “interessar e envolver”, mas o padre Constantino Alves apela a que mais médicos “abracem” esta iniciativa e prestem algum serviço de voluntariado porque “vão-se sentir felizes”.

Cristina Figueiredo vive no bairro da Bela Vista há apenas dois meses e considera a clínica um “projeto bom” porque existem muitas pessoas que “até recebem o rendimento mínimo que não chega para pagar as despesas, para sobreviver”.

Por sua vez, Ana Lúcia Bordal reside no bairro servido pela Paróquia de Nossa Senhora da Conceição “há mais de 12 anos” e revelou-se “muito agradecida” ao “prior e a Deus” pela iniciativa.

“Acho muito bem para os pobres terem uma boca limpa e acabar com as infeções porque há muitas famílias que têm de tirar da barriga para arranjar a boca”, acrescentou.

A inauguração clínica social dentária foi motivo de festa e alegria e reuniu autoridades políticas, civis e religiosas.

O bispo de Setúbal destacou a “importância real” de uma clínica que vai ajudar na saúde oral de quem “têm muitas dificuldades” e nasceu porque a paróquia esteve “atenta às necessidades” das pessoas.

D. Gilberto Reis assinalou outra dimensão à qual são chamadas todas as pessoas: “Primeiro estar atento aos sofrimentos e dores do outro; segundo acreditar que é possível fazer alguma coisa; terceiro aproximar-se e quatro envolver os outros, estruturar e organizar bem.”

O presidente da Cáritas Nacional e Diocesana de Setúbal e o presidente da Junta de Freguesia de São Sebastião, respetivamente Eugénio Fonseca e Nuno Costa, destacaram positivamente a iniciativa que não pode substituir o Serviço Nacional de Saúde e as obrigações do Estado.

“É muito importante que as pessoas abram a boca para sorrir, para dizer das suas mágoas, dos seus anseios, das suas esperanças e quem está junto delas e as vê abrir a boca não faça logo avaliações subjetivas”, alertou Eugénio Fonseca que inclui a clínica num projeto “mais vasto que é a erradicação da pobreza”.

Com números de pobreza que indicam para os 35% no bairro da Bela Vista, “10% acima da média nacional”, para Nuno Costa era “um dia muito feliz”.

A clínica dentária vai começar a funcionar em setembro porque “é necessário dar formação adequada” a quem vai estar, por exemplo, na receção na marcação das consultas ou no atendimento social personalizado, disse ainda o padre Constantino Alves.

CB



Diocese de Setúbal Solidariedade