Vaticano

África: Papa e presidente do Ruanda recordam genocídio e envolvimento de representantes católicos

Agência Ecclesia
...
Foto: Lusa
Foto: Lusa

Francisco deixou apelo em favor de uma «reconciliação da memória»

Cidade do Vaticano, 20 mar 2017 (Ecclesia) - O Papa Francisco recebeu hoje em audiência o presidente do Ruanda, Paul Kagame, com quem abordou o genocídio dos tutsi (1994).

“O Papa manifestou a sua profunda dor, a da Santa Sé e a da Igreja pelo genocídio contra os tutsi”, refere um comunicado divulgado pelo Vaticano o encontro.

Francisco manifestou solidariedade às vítimas e a todos os que continuam a sofrer as consequências dos “acontecimentos trágicos” acontecidos no país africano.

“Na linha do gesto levado a cabo por São João Paulo II durante o Grande Jubileu do ano 2000, [o Papa] renovou o pedido de perdão ao Deus pelos pecados e faltas da Igreja e dos seus membros, entre os quais sacerdotes, religiosos e religiosas que cederam ao ódio e à violência, atraiçoando a sua missão evangélica”, pode ler-se na nota oficial.

O Papa manifestou a esperança de que este “humilde” reconhecimento das falhas cometidas, “que desfiguraram o rosto da Igreja”, possam ajudar a “purificar a memória” e promover “um futuro de paz” no Ruanda.

Paul Kagame reuniu-se ainda com o secretário de Estado do Vaticano, cardeal Pietro Parolin, acompanhado pelo secretário do Vaticano para as Relações com os Estados, D. Paul Richard Gallagher.

As duas partes elogiaram a “colaboração” Igreja-Estado e o “notável caminho percorrido para recuperar a estabilidade social, económica e política” do Ruanda.

OC