Vaticano

Igreja/Media: Papa estreia vídeos mensais com apelo ao diálogo inter-religioso

Agência Ecclesia
...

Francisco recorda responsabilidade de cada crente em mensagem divulgada com a ajuda das redes sociais

Cidade do Vaticano, 06 jan 2016 (Ecclesia) - O Papa divulgou hoje o primeiro vídeo dedicado às intenções mensais do Apostolado de Oração (AO), lançando um apelo ao diálogo entre as várias religiões através do YouTube e das redes sociais.

“A maior parte dos habitantes do planeta declara ser crente e isso deveria provocar um diálogo entre as religiões”, refere.

O primeiro destes novos vídeos mensais tem a participação de padres católicos e responsáveis budistas, muçulmanos e judeus, além de imagens marcantes do pontificado de Francisco em que o pontífice argentino promove gestos concretos para o diálogo inter-religioso.

O Papa convida a “rezar” por este diálogo e a “colaborar com quem pensa de maneira diferente”.

“Muitos pensam de outra maneira, sentem de outra forma, procuram Deus ou encontram Deus de várias maneiras. Nesta multidão, neste leque de religiões há somente uma certeza para todos: todos somos filhos de Deus”, acrescenta.

Esta é uma iniciativa global, promovida pelo Apostolado da Oração, da Companhia de Jesus (Jesuítas), que visa colaborar na difusão das intenções mensais do Papa sobre os desafios da humanidade, uma tradição como mais de 100 anos.

De acordo com o AO, estima-se que façam parte da Rede Mundial de Oração do Papa mais de “30 milhões de pessoas”, em dez idiomas.

O Vídeo do Papa’ é um projeto foi idealizado e realizado pela agência La Machi, Consultora de Comunicação para Boas Causas, e conta com o apoio do AO-Portugal.

Todos os meses, o Papa confia ao AO duas intenções de oração: uma universal, com temáticas que apelam “a todos os homens e mulheres de boa vontade”; e outra pela evangelização, mais centrada na vida da Igreja e na sua missão.

“Confio em vocês para difundir a minha intenção deste mês: que o diálogo sincero entre homens e mulheres de diversas religiões produza frutos de paz e justiça. Confio na tua oração”, conclui Francisco.

OC



Papa Francisco