Vaticano

Paquistão: Papa condena «ato criminoso, vil e incompreensível»

Agência Ecclesia
...
Foto: CTV
Foto: CTV

Francisco associou-se hoje à dor da comunidade cristã de Lahore atingida por um ataque bombista quando celebrava a Páscoa

Cidade do Vaticano, 28 mar 2016 (Ecclesia) – O Papa manifestou hoje no Vaticano a sua consternação pelo atentado terrorista do último domingo em Lahore, no Paquistão, que causou 70 mortos e 300 feridos, na sua maioria mulheres e crianças cristãs.

“Quero manifestar a minha proximidade a todos quantos foram atingidos por este ato criminoso, vil e incompreensível, e convido-vos a rezar pelas vítimas e seus entes queridos”, disse Francisco aos peregrinos que encheram a Praça de São Pedro para a oração do "Regina Caeli".

O atentado no Paquistão, que envolveu um bombista suicida, aconteceu este domingo pelas 19h00 locais (15h00 de Lisboa) junto a um parque infantil de Lahore.

Segundo o relato das autoridades, o local estava cheio de famílias cristãs que ali festejavam a Páscoa, depois do governo paquistanês ter reconhecido pela primeira vez este dia como feriado para a comunidade cristã.

Este ataque já foi entretanto reivindicado pelo grupo islâmico “Jamatul Ahrar”, uma célula radical armada ligada aos talibãs.

Na sua intervenção depois do "Regina Caeli", enviada à Agência ECCLESIA, o Papa argentino apelou às forças civis e sociais do Paquistão para que “se empenhem a favor da segurança e da serenidade das populações e, em particular, de todas as minorias religiosas mais vulneráveis”.

“A violência e o ódio homicida conduzem apenas à dor e à destruição: o respeito e a fraternidade são a única via para a paz”, reforçou Francisco, expressando o seu desejo para que “a Páscoa suscite em todos” o repúdio pela “violência que semeia o terror e a morte”.

E deste modo se possa construir “ o amor, a justiça e a reconciliação”, complementou.

O Papa exortou ainda todos os cristãos a “viverem na alegria e na serenidade esta semana que prolonga a alegria da Ressurreição de Cristo”.

JCP  



Papa Francisco