Vaticano

Vaticano: «Igreja não é apenas para os bons» - Papa Francisco

Agência Ecclesia
...
Foto: Lusa
Foto: Lusa

Audiência pública semanal evocou episódio do «bom ladrão»

Cidade do Vaticano, 28 set 2016 (Ecclesia) - O Papa Francisco disse hoje no Vaticano que a Igreja tem de ser sinal da “misericórdia” de Deus, que chega a todos, independentemente das suas falhas.

“A Igreja não é apenas para os bons, para aqueles que parecem bons ou que se julgam bons; a Igreja é para todos, preferencialmente para os maus, porque a Igreja é misericórdia”, realçou, perante milhares de pessoas reunidas para a audiência pública semanal que decorreu na Praça de São Pedro.

A intervenção teve como tema ‘O perdão na Cruz’, partindo do relato do evangelista São Lucas sobre os dois ladrões crucificados com Jesus.

O Papa sublinhou que, ao morrer crucificado, entre dois criminosos, Cristo quis mostrar que a salvação pode chegar a todos, em qualquer condição, mesmo a mais dolorosa.

“A quem está crucificado numa cama do hospital, a quem vive recluso numa prisão, a quem está encurralado pelas guerras, eu digo: Levantai os olhos para o Crucificado. Deus está convosco, permanece convosco na cruz e a todos se oferece como Salvador”, declarou Francisco.

O pontífice argentino falou da figura do “bom ladrão”, que crucificado com Jesus mostrou arrependimento pelos seus crimes.

“O bom ladrão dirige-se diretamente a Jesus, confessa abertamente a própria culpa, invoca sua ajuda, chama-o pelo nome, pede a Jesus que se lembre dele: é a necessidade do homem de não ser abandonado. Assim, o condenado à morte torna-se modelo do cristão que se entrega a Jesus”, precisou.

Francisco convidou os participantes na audiência a cultivar a “certeza” de que “ninguém está excluído” do perdão de Deus.

“Mas podem perguntar-me: ‘Diga-me padre, aquele que fez as coisas mais feias na vida, tem possibilidade de ser perdoado?’. Sim, sim: ninguém está excluído do perdão de Deus, desde que se aproxime de Jesus”, explicou.

No final do encontro, o Papa saudou os peregrinos de língua portuguesa, em particular os representantes da Comunidade Católica de Língua Portuguesa na Alemanha.

“Que neste Ano Santo, possais fazer experiência da misericórdia de Deus para serdes testemunhas daquilo que mais Lhe agrada: perdoar aos seus filhos e filhas. Rezai também por mim! Deus vos abençoe”, concluiu.

OC



Papa Francisco