Cidade do Vaticano, 22 out 2018 (Ecclesia) – O Papa Francisco rezou hoje junto ao túmulo de São João Paulo II, na Basílica de São Pedro, no dia em que a Igreja Católica celebra a memória do pontífice, eleito em 1978 e falecido em 2005.

O prefeito do Dicastério para a Comunicação da Santa Sé, Paolo Ruffini, assinalou em conferência de imprensa que o Papa polaco foi “fundamental” para jovens de várias gerações – tendo criado, entre outras iniciativas, as Jornadas Mundiais da Juventude -, associando assim este gesto ao Sínodo dos Bispos dedicado às novas gerações, que decorre no Vaticano.

Num dia dedicado ao estudo da proposta para o documento final e a carta aos jovens, os jornalistas ouviram o reitor-maior dos Salesianos, padre Padre Ángel Fernández Artime, uma congregação cuja “prioridade educativa” são, precisamente, os jovens.

O religioso destacou a necessidade de falar a todos e não apenas a uma “elite” de jovens, rejeitando uma visão eurocêntrica nesta assembleia sinodal.

Para o responsável mundial dos Salesianos, as novas gerações esperam da Igreja “o grande valor do testemunho” e uma resposta à falta de “maternidade e paternidade” nas suas vidas, valorizando as várias propostas católicas, que “não são apenas as paróquias”.

D. Paolo Bizzeti, vigário-apostólico da Anatólia (Turquia), afirmou, por sua vez, que as gerações mais antigas têm de “pedir perdão” aos jovens, porque os “encheram de coisas desnecessárias” e privaram das importantes.

O responsável questionou também como é possível falar de fé e discernimento a “milhões de jovens que não têm hipótese de escolher, porque têm a sua vida definida aos 8 anos, ou têm de fugir dos seus países”.

Já D. Frank J. Caggiano, bispo de Bridgeport (EUA), defendeu que sinodalidade tem de ser concretizada de forma local, concretizando esta assembleia mundial com “sínodos diocesanos” ou “congressos da juventude”.

“A sinodalidade não acaba aqui”, insistiu.

O Vaticano informou ainda que os jovens do Iraque fizeram chegar ao Papa uma mensagem de agradecimento, através de um vídeo, depois de o jovem convidado deste país, Safa Al Abbia, ter sido obrigado a deixar o Sínodo mais cedo, por motivos familiares.

A 13 de outubro, na Casa Marta, Francisco recebeu o jovem iraquiano, que quis agradecer e saudar o Papa; o pontífice entregou-lhe um rosário para levar à sua mãe, que se encontra doente, e deixou também algumas palavras de encorajamento a todos os jovens do Iraque.

Safa Al Abbia teve a ideia de responder em várias línguas, através de um vídeo dirigido ao Papa, juntamente com D. Shlemon Warduni, bispo auxiliar de Bagdad.

OC

 

A reportagem do Sínodo dos Bispos é realizada em parceria para a Agência Ecclesia, Família Cristã, Flor de Lis, Rádio Renascença e Voz da Verdade

Partilhar:
Share