Jornadas de Formação do Clero 2018 marcam início do novo ano pastoral 2017-2018

Bispo de Angra, D. João Lavrador
Foto: Igreja Açores

Angra do Heroísmo, Açores, 13 set 2018 (Ecclesia) – O bispo de Angra incentivou o clero da Vigararia do Centro – ilhas Terceira e do Corvo – a promover uma maior participação e corresponsabilização dos leigos, a partir da constituição dogmática ‘Lumen Gentium’ do Concilio Vaticano II.

“Eis o grande desafio que temos de levar a sério, que nos é colocado a partir da cultura de hoje e das exigências conciliares”, afirmou D. João Lavrador, esta quarta-feira, divulga o sítio online ‘Igreja Açores’.

No Seminário Episcopal de Angra, o bispo diocesano explicou que “não desenvolver e promover os dons e os serviços” de todos os cristãos seria “não atender ao que o Espírito Santo” quer oferecer à Igreja de hoje.

“Os leigos, membros ativos e participantes, possuem uma índole especifica na missão da Igreja, isto é, a sua característica secular. Se são chamados a participar ativamente na comunidade através dos diversos serviços laicais pertence-lhes de direito próprio a sua presença no meio do mundo, à maneira de fermento, para transformar a cultura e a sociedade com a força do Evangelho”, desenvolveu.

Na reflexão a partir da constituição dogmática ‘Lumen Gentium’, o bispo de Angra explicou que a “participação ativa e em todos os domínios da vida da Igreja” de todos os batizados está consagrada na “doutrina do Concilio Vaticano II”.

O prelado realçou o “valor da presença e da participação ativa e consciente” do homem e da mulher de hoje na vida da Igreja e alertou que podem se afastar “quando não é chamado a participar conscientemente na vida e na missão da Igreja”.

“Esta luz nova que se projeta sobre a Igreja exige que se promovam nas paróquias verdadeiras comunidades ministeriais; A participação dos cristãos nos diversos movimentos e comunidades são uma riqueza e uma oportunidade para que a paróquia se renove e se capacite para a missão do mundo de hoje”, acrescentou.

D. João Lavrador explicou na conclusão que a formação integral do cristão “exige a sua integração na comunidade cristã, a sua responsabilização pela missão da Igreja e pela Evangelização” e a sua participação consciente e ativa na Igreja”, e lembrou aos sacerdotes que é na comunidade cristã que “se encontram os meios para crescer na santidade”.

A Jornada de Formação do Clero açoriano 2018 termina hoje com os sacerdotes das ilhas de São Miguel e de Santa Maria reunidos no Centro Pastoral Pio XII, em Ponta Delgada.

O sítio online diocesano ‘Igreja Açores’ assinala que o vigário episcopal para a Formação, o cónego Ângelo Valadão, também é formador na ação, que começou esta terça-feira, e falou sobre a nova consciência eclesial formada a partir do mesmo documento conciliar.

CB/PR

Partilhar:
Share