«Metade da diocese está em São Miguel», assinalou D. João Lavrador

Foto: Igreja Açores

Angra do Heroísmo, Açores, 02 mar 2018 (Ecclesia) – O bispo de Angra incentivou que as Jornadas de Teologia cheguem a outras ilhas da diocese insular como em Ponta Delgada (São Miguel), que tem agora o Instituto Católico de Cultura e a Universidade dos Açores.

“No Seminário estamos a sedimentá-las, mas é preciso não esquecermos que metade da diocese está em São Miguel”, disse D. João Lavrador, esta quinta-feira, no encerramento das II Jornadas de Teologia.

Citado pelo portal diocesano ‘Igreja Açores’, o bispo de Angra destacou que a Igreja está ao serviço de todos e tem de levar o debate e reflexão “onde está gente e, sobretudo massa crítica”.

“As parcerias são sempre positivas e há de haver uma solução para essa proposta”, realçou o reitor do Seminário de Angra, sobre o repto episcopal de realizar as Jornadas de Teologia noutros ambientes e contextos.

“A casa cheia foi um sinal de que a sociedade quer interrogar-se sobre o transcendente e a Igreja não se pode alhear desta tarefa”, observou o padre Hélder Miranda Alexandre.

As II Jornadas de Teologia, com o tema ‘Deus na pena dos homens – o diálogo entre Teologia e Literatura’, realizaram-se entre terça e quinta-feira, promovidas pelo Seminário Episcopal de Angra em parceria com a Academia de São Tomás de Aquino.

O bispo de Angra considera que as jornadas representaram “um passo em frente” para o Seminário” que, a partir de agora, tem de “emanar reflexão teológica”.

Entre os conferencistas estiveram teólogos, professores universitários, sacerdotes e para o padre Hélder Miranda Alexandre “não há volta a dar” e é necessário alargar os temas ao que “interessa à sociedade”.

“Já estamos a tentar organizar as III Jornadas, que poderão ser sobre outras formas de arte”, adiantou o responsável

O sítio online ‘Igreja Açores’ assinala ainda que as Jornadas de Teologia 2018 terminaram com música interpretado pelo Coro da Academia de São Tomás de Aquino.

Na abertura do evento foi apresentado o primeiro número da revista anual ‘Fórum Teológico XXI’.

O professor do Seminário Episcopal de Angra, Sérgio Toste, para quem “só o título é um programa desafiante” considera que a nova publicação potencia o que é natural e que é o diálogo permanente entre o humano e o divino, fé e cultura.

O primeiro número reúne as intervenções das Jornadas Teológicas Cristianismo e Cultura, promovidas pelo Seminário de Angra, em março de 2017, com textos como ‘Fé e cultura: da rutura ao diálogo’, D. João Lavrador, e ‘Relatividade artístico-cultural e responsabilidade pastoral’, do diretor do Secretariado Nacional da Pastoral da Cultura, José Carlos Seabra Pereira.

CB/OC

Partilhar:
Share