Angra do Heroísmo, Açores, 17 mai 2018 (Ecclesia) – O jornal católico centenário ‘O Dever’, na Diocese de Angra, vai ser condecorado com a insígnia regional de Mérito Cívico no dia da Região dos Açores, na próxima segunda-feira, no auditório da Madalena do Pico.

“O jornal não é confessional. Tem reportagem sobre as coisas locais sem perder de vista o mundo e o que se passa na igreja e no mundo”, explicou o diretor da publicação, o padre João Bettencourt das Neves.

Segundo a informação enviada à Agência ECCLESIA, pelo sítio online ‘Igreja Açores’, o sacerdote refere que os problemas do jornal ‘O Dever’ são os comuns à imprensa de inspiração cristã.

A principal dificuldade ter leitores e encontrar o justo equilíbrio entre o que é confessional e o que é generalista e a prioridade interpelar as pessoas para a importância do jornal.

“É para o povo o nosso pequeno semanário. A ele o destinamos particularmente, com a mira no interesse da verdade da doutrina e com os olhos postos na obra urgente da cristianização da família”, desenvolve o padre João Bettencourt das Neves, a partir do editorial escrito na primeira edição do semanário pelo padre Xavier Madruga, a 2 de junho de 1917.

‘O Dever’, de propriedade paroquial, é um dos dois jornais católicos do Arquipélago dos Açores, ao longo dos seus 100 anos já teve “pelo menos 12 diretores” e começou por ser publicado no Topo, na Ilha de São Jorge, passando depois para as Lajes do Pico.

Ao todo são 17 entidades que vão receber essa insígnia onde se contam duas misericórdias e a Casa de Saúde do Espírito Santo, na Ilha Terceira.

O sítio online ‘Igreja Açores’ informa que a casa de saúde trabalha na área da saúde mental, apoia 160 mulheres, e é das Irmãs Hospitaleiras do Sagrado Coração, contando já com 50 anos de presença no arquipélago.

Vão ser também distinguidas a Santa Casa da Misericórdia das Lajes do Pico e a Delegação da Cruz Vermelha de Angra, nas cerimónias do Dia dos Açores que se vão realizar no auditório da Madalena do Pico, dia 21 de maio, numa sessão solene com os três órgãos de Governo da Região Autónoma – Assembleia Legislativa, o Governo regional e o representante da República.

CB

Partilhar:
Share