D. Manuel Clemente benzeu primeira pedra da nova casa que assinala aniversário

 

 

 

 

 

 

Lisboa, 10 mar 2018 (Ecclesia) – O cardeal-patriarca de Lisboa destacou hoje que a associação ‘Ajuda de Berço’ ocupa na sociedade portuguesa um espaço de “manifestação concreta da vontade de ajudar e de estar onde é preciso”, na celebração do 20.º aniversário da instituição.

“Uma coisa é dizer em geral e outra é concretizar na prática e estes 20 anos representam tanto esforço, boa vontade, tanta capacidade de andar para a frente com parcos recursos”, disse D. Manuel Clemente, aos jornalistas, esta tarde.

À margem da Eucaristia e bênção da primeira pedra da nova casa da ‘Ajuda de Berço’ o cardeal realçou que a associação “merece o reconhecimento de toda” a sociedade portuguesa e apoio “quer oficial, quer da sociedade em geral”.

A instituição ocupa um espaço, “realmente e justamente”, na sociedade portuguesa como “manifestação concreta da vontade de ajudar, de estar onde é preciso” e adiantar-se, como “tantas vezes acontece”, às iniciativa oficiais para as substituir ou complementar.

“Sempre as incentivar na resposta a problemas fortes que tanta gente sente no que diz respeito à vida e gestação e à vida nos seus primeiros momentos e depois à vida que pode ser dificultada por deficiências”, desenvolveu.

Foto: Patriarcado de Lisboa

Na homilia da Missa de ação de graças a que presidiu no Convento São Domingos, D. Manuel Clemente disse que “a obra de Deus realiza-se e este tempo acontece” com a “boa vontade” de quem criou a ‘Ajuda de Berço’, com a boa vontade de crentes e não-crentes, que “colaboraram e colaboram” com a instituição.

“Quem pratica as obras de Deus aproxima-se da luz e este momento é de iluminação, especialmente, naquilo que a ‘Ajuda de Berço’ tem feito”, declarou o cardeal-patriarca de Lisboa.

A ‘Ajuda de Berço’ está a celebrar 20 anos de história e a primeira iniciativa foi a Eucaristia esta tarde que marcou “o arranque oficial da nova casa da instituição”.

Com a nova casa, a associação pretende “aumentar a capacidade de resposta, o tempo de permanência e melhorar as condições de acolhimento”, explicou a Ajuda de Berço numa nota enviada à Agência ECCLESIA.

Instalada num terreno “cedido pela Câmara Municipal de Lisboa, em Benfica”, vai ter capacidade para “16 crianças doentes (dos seis aos 16 anos) e as 20 crianças (dos zero aos três anos)” que estão atualmente na casa da Avenida de Ceuta.

A Ajuda de Berço, fundada a 12 de março de 1998, já “acolheu 368 crianças” e tem como missão o encaminhamento para uma vida digna, “seja no regresso à família biológica ou na integração numa família de adoção”.

A instituição afirma a defesa da vida em “qualquer circunstância, reconhecendo e promovendo a dignidade humana” através do acolhimento e encaminhamento de crianças, “desde o nascimento até aos três anos, que não possam viver com os seus pais ou familiares”.

A Ajuda de Berço acompanha crianças “necessitadas de proteção urgente” face a situações que as colocam em risco, como”: Maus tratos, abusos sexuais, negligências várias e abandono”.

LFS/CB

Partilhar:
Share