«Cristo, o enviado do Pai» é o tema da mensagem de D. Manuel Quintas

Faro, 19 dez 2018 (Ecclesia) – O bispo do Algarve afirma que “só” com a “partilha solidária e fraterna” é que o Natal “poderá ser para todos ‘santo e feliz’”.

“Celebrar o Natal é por isso mesmo aceitar sair da zona de conforto e encontrar Cristo no rosto do outro, que nos interpela com a sua presença física, com os seus sofrimentos e as suas inquietações, com a sua alegria contagiosa, permanecendo a seu lado”, escreveu D. Manuel Quintas.

Na Mensagem de Natal enviada hoje à Agência ECCLESIA, o bispo do Algarve manifesta o seu “reconhecimento” a quantos das formas mais diversas “assumem” com novo empenho, em cada Natal, “a missão de abater muros, construir proximidades, desfazer solidões, ser fraternos”, como diversas são as motivações que os animam no serviço aos outros, a título individual, familiar ou institucional.

“Que o acolhimento na fé e no amor do Deus-Menino, nos leve continuamente a reconhecê-l’O no rosto e na vida de quantos reclamam, mesmo silenciosamente, a nossa partilha solidária e fraterna. Só assim é que o Natal poderá ser para todos ‘santo e feliz’”, desenvolve.

D. Manuel Quintas assinala que celebrar o Natal é “acolher na fé o amor de Deus manifestado em Cristo” que vem ao encontro, “em cada homem e em cada tempo”.

Na mensagem para o Natal 2018, o bispo do Algarve realça que em Ano Missionário são chamados “a celebrar o Evangelho da Família” como Igreja diocesana.

“Queremos neste tempo natalício acolher o Deus-Menino, com maior disponibilidade interior, como “o enviado” do Pai, verdade acolhida na fé, professada no Credo e celebrada em cada Natal”, acrescentou no documento intitulado ‘Cristo, o enviado do Pai’, divulgado pelo jornal diocesano ‘Folha do Domingo’.

CB

Partilhar:
Share