«Presença do bispo é sempre um apelo a alargar um bocadinho os horizontes» – D. Manuel Quintas

Foto Samuel Mendonça/Folha do Domingo

Faro, 18 dez 2018 (Ecclesia) – O bispo do Algarve realizou a primeira visita pastoral de 2018/2019 e os diversos encontros realizados foram “sinais da presença e da ação de Deus”, entre 8 e 15 deste mês, nas Paróquias da Conceição de Faro e de Pechão.

“Dou graças a Deus por vós terdes sido palavra, mensagem, presença de Deus para mim ao longo desta semana”, afirmou D. Manuel Quintas na Eucaristia de encerramento, na igreja da Conceição de Faro.

Na informação enviada hoje à Agência ECCLESIA, pelo jornal ‘Folha do Domingo’, o bispo diocesano assinalou que “uma visita pastoral é sempre um tempo de graça e de dom para o bispo”.

“Penso que também para vós porque a presença do bispo, seja eu ou outro, é sempre um apelo a alargar um bocadinho os horizontes e a vermos que, para além desta família que nós constituímos, há toda a diocese. Ajuda-nos a alargar os horizontes da nossa fé e da nossa pertença a esta Igreja que constituímos”, desenvolveu.

Na Missa de abertura da visita, D. Manuel Quintas tinha explicado que as semanas dedicadas a uma visita pastoral é o tempo que vive “mais intensamente” pela “oportunidade de conhecer melhor a diocese”.

“Conhecendo melhor, necessariamente que sentimos mais estímulo para amar mais, para rezar mais, pelas comunidades, pelas pessoas”, realçou, salientando a necessidade de “conhecer os projetos, os sonhos, as dificuldades” e os anseios das pessoas e perceber a “realidade humana, social, cultural”.

Entre o dia 8 e 15 de dezembro, D. Manuel Quintas esteve com os conselhos pastorais, as comissões fabriqueiras e responsáveis dos serviços litúrgicos das paróquias da Conceição de Faro e de Pechão, diversos movimentos, e visitou, por exemplo, o Jardim de Infância “A Luzinha” e o Lar da Terceira Idade e o Jardim de Infância da Torre de Natal, Juntas de Freguesia e Casa do Povo.

Entre janeiro e março de 2019, o bispo do Algarve vai visitar sete paróquias: Raposeira, Sagres e Vila do Bispo, de 20 a 27 de janeiro; Estoi e Santa Bárbara de Nexe, entre 17 e 24 de fevereiro; e Fuseta e Moncarapacho de 24 a 31 de março.

Em data “a ser confirmada” destacam-se também as visitas aos três estabelecimentos prisionais do Algarve que D. Manuel Quintas tinha previsto visitar este mês mas a visita foi adiada para data a agendar devido à greve dos guardas prisionais, informa o jornal ‘Folha do Domingo’.

O Código de Direito Canónico estabelece que os bispos têm a obrigação de visitar toda a diocese ao menos a cada cinco anos, podendo, em caso de necessidade, delegar essa tarefa no prelado coadjutor ou auxiliar, ou ainda num padre.

CB

Partilhar:
Share