Padre Adelino Ascenso lembra referências ao santuário português no Japão e na China

Foto: Fundação Ajuda à Igreja que Sofre

Lisboa, 11 out 2018 (Ecclesia) – O superior-geral da Sociedade Missionária da Boa Nova afirma que Nossa Senhora de Fátima “é muito querida ao povo oriental” e lembra uma visita à China, onde um padre pediu que rezasse por ele na Cova da Iria.

“O reitor tinha passado muitas dificuldades, esteve muitos anos preso, quis tirar uma fotografia e disse «reze por mim em Fátima»”, lembra o sacerdote, natural da Diocese de Leiria-Fátima, em declarações à Agência ECCLESIA.

O padre Adelino Ascenso contextualiza que foi numa visita a Xian, na China, com outros missionários que estavam no Japão, que conheceu o bispo local e o reitor do seminário, que “nunca mais” deixou os dois portugueses do grupo quando descobriu a sua nacionalidade.

“Fátima é muito querida ao povo oriental, não só ao povo japonês e não só chinês mas oriental em geral”, realçou o religioso que esteve em missão mais de dez anos no Japão

O padre Adelino Ascenso foi ordenado sacerdote na Sociedade Missionária da Boa Nova, a 21 de fevereiro de 1998, na Sé de Leiria, e partiu para o Japão – Paróquia de Fuse, Diocese de Osaka, tendo regressado a Portugal, em julho de 2014, com um interregno, entre 2004 e 2008, para estudar Teologia Fundamental, em Roma.

O bispo de Hiroxima vai presidir à Peregrinação Internacional Aniversária ao Santuário de Fátima, esta sexta-feira e sábado, dias 12 e 13 de outubro, que evoca a última Aparição de Nossa Senhora aos pastorinhos em 1917.

“Tem uma relevância muito grande. O povo japonês valoriza muito a dimensão maternal de Deus, e aqui, naturalmente, eles veneram muito a Virgem Maria pela sua dimensão materna”, observou o missionário.

O santuário mariano português explica que a presença de D. Alexis Mitsuru Shirahama “materializa a atenção” que têm dedicado ao continente asiático de onde “se tem registado um aumento anual de peregrinos”.

Segundo o padre Adelino Ascenso o “mundo ocidental tem de abrir portas ao oriente” e, neste contexto, revela que ficou “muito contente” pelo convite ao bispo de Hiroxima para presidir à peregrinação de outubro a Fátima.

“É razão para ficarmos contentes e eu particularmente que me sinto muito ligado ao Japão”, acrescentou o missionário que foi reeleito para um novo mandato como responsável da Sociedade Missionária da Boa Nova, para os próximos quatro anos 2018 – 2022.

O sacerdote recorda ainda outras passagens de bispos japoneses pela Cova da Iria, como a do cardeal Stephen Fumio Hamao (1930-2007), que foi presidente do Conselho Pontifício da Pastoral dos Migrantes e Itinerantes da Santa Sé (1998-2006), em agosto de 2004, e a de D. Leo Jun Ikenaga, que foi arcebispo de Osaka (1997-2014), em julho de 2005.

SN/CB

Presença de Fátima… no Japão, com o padre Adelino Ascenso – Emissão 08-10-2018

Partilhar:
Share