D. António Moiteiro afirma que «chamamento de Deus é sempre um desafio»

Aveiro, 23 set 2018 (Ecclesia) – A Diocese de Aveiro vai viver um triénio dedicado à vocação dos católicos, entre 2018 e 2012, que desafia todos a  “compreender-se e ao seu projeto de vida”, assinala o bispo local.

“A opção por um triénio dedicado à vocação, ao seguimento de Jesus, faz-nos recentrar a vida da Igreja em Jesus – opção que a Igreja sempre tomou em tempos de crise e de dificuldade”, explica D. António Moiteiro, na carta pastoral em que apresenta este itinerário.

A Diocese de Aveiro convida as comunidades católicas  “descobrir o dom da vocação” como seguimento de Jesus, “como resposta ao seu chamamento”.

O bispo diocesano afirma que todos têm “o dom de Deus, o dom da vocação”, que é a “realidade mais profunda da pessoa” e alerta que, habitualmente, “confunde-se vocação com profissão” – o exercício de uma atividade, que “nem sempre está em conformidade com a vocação”.

“A vocação nasce de uma voz interior e antecede a profissão. O cristão aprende a acolher numa perspetiva vocacional todas as escolhas da existência, sobretudo a do estado de vida, bem como as de caráter profissional”, desenvolve.

O objetivo geral do próximo triénio (2018-2021) é “fazer ressoar com alegria o chamamento à santidade em toda a Igreja Diocesana”.

A vocação cristã, nascida no Batismo, é o seguimento e o testemunho de Jesus nas ocupações de cada dia, onde cada um se encontra”.

O primeiro ano é dedicado à ‘vocação batismal, caminho de santidade’; em 2019-2020 a diocese centra-se na ‘vocação da família: com o olhar fixo em Jesus’; e a caminhada de três anos termina com os diocesanos ‘enviados para anunciar o Evangelho de Jesus’, no ano pastoral 2020-2021.

D. António Moiteiro afirma que “o chamamento de Deus é sempre um desafio” e cada passagem do Evangelho “é um convite de Jesus a segui-Lo”, que põe o homem diante da interrogação fundamental: “Que quero fazer da minha vida? Qual o meu caminho?”.

“Não se chega à meta e ao objetivo permanecendo confortavelmente sentados, esperando que tudo venha ao nosso encontro. À semelhança dos apóstolos, os batizados são chamados a dar testemunho ousado e coerente, e presente em todos os âmbitos da vida, desde os novos areópagos ao átrio dos gentios de hoje”, desenvolve o bispo de Aveiro.

CB/OC

Na carta ‘Jesus chamou os que Ele quis… eles foram… e ficaram’, D. António Moiteiro identifica alguns desafios pastorais:

1.º Descobrir o caminho que Deus pede à  Diocese de Aveiro

2.º Fortalecer a Iniciação Cristã como caminho para ser discípulo

3º Anunciar o Evangelho da família

4º Cultivar uma pastoral vocacional

5º Todos são necessários para a conversão pastoral

 

Partilhar:
Share