Anualmente, o mês de setembro pode ser marcado por uma atividade de encontro e formação interparoquial

Aveiro, 12 set 2018 (Ecclesia) – As paróquias de Esgueira, Glória e Vera Cruz, na Diocese de Aveiro, promoveram uma reflexão sobre ‘a pastoral na cidade’, ou seja, as formas de desenvolver o seu serviço todos dias para todas as pessoas.

Em declarações à Agência ECCLESIA, o padre Francisco Melo, da Diocese de Aveiro, explicou que as paróquias da cidade têm “problemáticas próprias” e também “muitas potencialidades, com proximidades muitas vezes anónimas”.

“Não deixa de haver potencialidades que devemos aproveitar para tornar este Evangelho visível”, sublinhou o pároco de Oliveiro do Bairro e Palhaça que refletiu sobre ‘A Paróquia’.

Da Diocese do Algarve viajou o outro orador da jornada, o padre António Freitas, que alertou para a apresentação de “propostas pastorais para uma realidade que não existe”, num esquema ainda rural.

“Devemos ser uma Igreja que abre o coração, que vai ao encontro das pessoas sem o preconceito, ou já com esquemas feitos, e, por isso, uma grande disponibilidade para o diálogo que implica, antes de mais, e sobretudo, o escutarmos as pessoas, os seus anseios, os seus projetos de vida”, desenvolveu.

O sacerdote que apresentou o tema ‘Pastoral na Cidade’ tentou ajudar para uma reflexão que é necessária e a despertar para compreender “que pessoas são estas que estão nas cidades”.

“A resposta a dar numa cidade não pode ser a mesma ‘mezinha’ de sempre em todos os lugares”, afirmou o padre algarvio que estudou a ação do cardeal Jorge Mario Bergoglio, o agora Papa Francisco, enquanto arcebispo da “grande cidade” de Buenos Aires (Argentina).

“Este desafio da Igreja é não se fechar em si mesma, naquilo que são as suas ações, mas ser resposta significativa para o quotidiano e vida das pessoas”, acrescentou o padre Francisco Melo.

As paróquias aveirenses de Esgueira, Glória e Vera Cruz convidaram os seus fiéis para uma jornada sobre a ‘Pastoral na Cidade’ que desafia, efetivamente, ao trabalho em conjunto.

“Não falamos de anular ou diluir paróquias, mas pelo contrário, precisamos da proximidade e que o Evangelho seja próximo e interior e encarne a vida das pessoas”, realçou o padre Francisco Melo.

O pároco da Vera-Cruz explicou que a jornadas nasceu dos diálogos entre os sacerdotes e que se estivesse “tudo bem” não pensariam “muito nas respostas, mas nascem das dificuldades em dar resposta a realidades novas”.

“Dificuldades novas, e a certeza que se juntos vivemos essas mesmas necessidades porventura as respostas têm de ser conjuntas”, disse o padre João Alves.

No campo das dificuldades, o sacerdote destacou o “mundo da juventude”, as três paróquias, por exemplo, “acolhem” as escolas secundárias de todo o concelho de Aveiro, a universidade, as “realidades sociais; o turismo; a mobilidade das pessoas”.

Segundo o padre João Alves, a jornada sobre a pastoral na cidade “ajuda” a identificar as pessoas que “estão motivadas e entusiasmadas para um caminho mais em conjunto”.

O pároco da Vera-Cruz assinalou que esta foi a primeira iniciativa das três paróquias da cidade de Aveiro e “está no horizonte” futuro o mês de setembro ser marcado por “uma proposta de reflexão conjunta”.

SN/CB/OC

 

Partilhar:
Share