D. Jorge Ortiga desafiou comunidades a criarem «grupos semeadores de esperança»

Braga, 14 jun 2018 (Ecclesia) – O arcebispo de Braga desafiou as comunidades católicas da região a criarem projetos “semeadores de esperança”, inspirados na figura de Santo António.

Na sua homilia da missa da festa de Santo António, esta quarta-feira, D. Jorge Ortiga recordou uma figura cuja vida foi pautada pelo “amor a Deus e ao próximo” e que ainda hoje permanece como o “grande pregador” da fidelidade à exigência que brota da fé, em Cristo Ressuscitado.

“É a vivência pessoal da esperança e a obrigação de nos aproximarmos dos crucificados de hoje para os libertarmos dos seus sofrimentos”, apontou o responsável católico, considerando ser este também “o caminho que tem que ser trilhado na arquidiocese minhota”.

Ter a capacidade de “na noite, despertar a esperança e, no mundo, olhando com o coração, semear a esperança”.

“Esta será talvez a melhor homenagem que podemos prestar a Santo António”, sustentou D. Jorge Ortiga, que de seguida desafiou as comunidades a criarem “grupos semeadores de esperança” que, a partir da Palavra de Deus, do estudo do Evangelho, como fazia Santo António, sejam geradores de “um espírito de comunidade”, sobretudo junto dos mais necessitados.

“O cristão é aquele que traz um valor acrescentado às propostas da sociedade, da política e do trabalho. Fá-lo propondo os valores universais do Evangelho e uma pedagogia humanista”, salientou o arcebispo de Braga.

JCP

Partilhar:
Share