Bragança, 05 dez 2018 (Ecclesia) – A Cáritas e o Serviço de Pastoral Penitenciária de Bragança-Miranda estão a promover a campanha ‘Natal na Prisão’, para os reclusos de estabelecimentos prisionais do distrito bragantino, e dão voz aos seus voluntários num dia especial.

No Dia Internacional do Voluntariado 2018, Celsa Garrido afirmou que “é gratificante” estar “a ajudar pessoas em situações complicadas”, sejam reclusos ou outras pessoas que recorrem à Cáritas.

Na informação enviada hoje à Agência ECCLESIA, pela Cáritas Portuguesa, a estudante estrangeira refere que pertencer ao grupo de voluntários da instituição católica “possibilitou a integração na comunidade” que a acolheu.

A campanha conjunta ‘Natal na Prisão’ consiste na recolha de meias e produtos de higiene oral, como escovas e pastas de dentes, para 500 reclusos dos estabelecimentos prisionais de Bragança e Izeda, e termina este domingo, dia 9 de dezembro.

“Esperamos contribuir para que o recluso oriente a sua vida, os presentes são mensagens de esperança enviadas pela sociedade”, explicou a Lisete Magalhães.

A também voluntária da Cáritas realça que, com a preparação e entrega dos presentes, querem “transmitir aos reclusos a ideia de que a sociedade é capaz de gestos de perdão”.

Já para Sandra Rodrigues, a iniciativa solidária da Cáritas diocesana e do Serviço de Pastoral Penitenciária de Bragança-Miranda “é muito importante sensibilizar a população, dar a conhecer” e destaca que “estas campanhas estão a dar fruto e há bastante adesão”.

“Nos estabelecimentos prisionais trabalhamos no sentido de criar tempos de reflexão, promovendo alicerces para uma futura reintegração dos reclusos na comunidade, e a comunidade cristã em especial, tem que acolher”, desenvolve a voluntária em contexto prisional.

A Cáritas Diocesana de Bragança-Miranda explica que “mais do que oferecer” um presente de Natal a todos os reclusos a campanha tem “dois grandes objetivos”: “Sensibilizar a sociedade para a realidade “oculta” atrás das grades e, sobretudo, sensibilizar a própria pessoa privada de liberdade de que é possível começar de novo”.

A campanha começou no dia 18 de novembro e, na véspera, o diretor do Serviço Diocesano da Pastoral Penitenciária, Rui Magalhães, realçava que era “necessário despertar a responsabilidade comunitária” e que a caridade “deve estar presente nas iniciativas de qualquer expressão comunitária cristã”.

Anualmente, as comunidades da diocese transmontana são convidadas a aderir à campanha que este ano desafiou Bragança – Unidade Pastoral Senhora das Graças, Santuário de Nossa Senhora das Graças, Colégio do Sagrado Coração de Jesus, Colégio de S. João de Brito/Escola de Santa Clara e Escola Secundária Emídio Garcia – e o Colégio Nossa Senhora do Amparo em Mirandela.

Os alunos e professores da disciplina de Educação Moral e Religiosa Católica (EMRC), da Escola Secundária Emídio Garcia em Bragança, estão a preparar postais de Natal personalizados, que vão ser entregues com os presentes dos voluntários Cáritas.

As instituições promotoras da campanha solidária informam que as doações podem ser feitas nos “templos religiosos e estabelecimentos de ensino” anteriormente referidos.

SN/CB

Bragança: Pastoral Penitenciária e Cáritas diocesana lançam campanha de apoio aos reclusos

Partilhar:
Share