Rio de Janeiro, Brasil, 25 set 2018 (Ecclesia) – O arcebispo D. José Tolentino Mendonça abriu hoje no Rio de Janeiro o congresso internacional “Teopoética: Mística e Poesia”, que conta também com uma intervenção de José Rui Teixeira, da Diocese do Porto.

“Entre os problemas fundamentais da pós-modernidade, encontra-se o da busca de novas linguagens para dizer o mistério de Deus, do humano e da vida. A mística, a poesia e a literatura de maneiras singulares, mas tangenciando-se, ultrapassam os binarismos que mantém uma perspetiva superficial da existência e recuperam uma gramática integral do humano”, sublinha uma nota da organização, citada pelo Secretariado Nacional da Pastoral da Cultura.

“A Literatura pode ser uma mediação hermenêutica forte e eficaz para a Teologia e a Filosofia”, acrescenta o texto.

O novo arquivista e bibliotecário da Santa Sé falou sobre o tema ‘O leitor infinito – quando a teoliterária reflete o papel do leitor’.

Na quarta-feira, José Rui Teixeira, membro da ‘Cátedra Sophia – Poesia e Transcendência’, da Universidade Católica Portuguesa (núcleo do Porto) participa no terceiro painel do encontro com a intervenção intitulada ‘No princípio era a ilha: eutopia, distopia e outros deslocamentos da temporalidade na poesia de José Tolentino Mendonça’.

A iniciativa é promovida pela Associação Latino-Americana de Literatura e Teologia (ALALITE).

OC

Partilhar:
Share