Em causa estão áreas como o desenvolvimento das comunidades indígenas e melhoramento de infraestruturas básicas

Cidade do Vaticano, 12 jun 2018 (Ecclesia) – A arquidiocese brasileira de São Salvador da Bahia acolhe hoje uma reunião do conselho de administração da Fundação ‘Populorum Progressio’ para a América Latina, que decidirá o apoio a projetos de desenvolvimento na região.

De acordo com a sala de imprensa da Santa Sé, a iniciativa que decorrerá até à próxima quinta-feira vai permitir examinar cerca de 100 projetos e decidir o seu eventual financiamento.

Algo que será possível com o apoio das comunidades católicas de Itália, por intermédio da Conferência Episcopal Italiana.

Entre os projetos mencionados no comunicado, estão contempladas dimensões como “o desenvolvimento humano integral das comunidades indígenas, mestiças, afro-americanas e camponesas da América Latina e do Caribe”.

Também áreas como a produção agrícola, o apoio ao melhoramento de infraestruturas ligadas ao acesso à água, aos cuidados básicos de saúde, à energia e às vias de comunicação, o apoio no acesso ao crédito, ao empreendedorismo e à educação, o estabelecimento ou melhoramento dos media locais.

Os participantes vão também procurar perceber qual a melhor forma da Igreja Católica estar mais presente “junto dos mais necessitados” deste território, através das suas estruturas sociocaritativas.

A Fundação ‘Populorum Progressio nasceu na sequência do lançamento de uma encíclica com o mesmo nome, escrita pelo Papa Paulo VI e dedicada ao ‘progresso de todos os povos’.

Em 25 anos de atividade (1992 – 2017), este organismo pontifício já apoio financeiramente mais de 4 mil projetos, num valor total de cerca de 41 milhões de dólares, cerca de 35 milhões de euros.

Do conselho de administração da Fundação fazem parte o cardeal Peter Turkson, prefeito do dicastério para o Serviço do Desenvolvimento Humano Integral, bem como presidente e representante legal do organismo.

Também o arcebispo de Arequipa, no Perú, D. Javier Alba, presidente do conselho; o arcebispo de Villavicencio, na Colômbia, D. Oscar Ortega, vice-presidente do

conselho; o bispo de Les Cayes, no Haiti, D. Chibly Langlois, o bispo de Barinas, na Venezuela, D. José Luis Ayala; e o subsecretário do dicastério para o Desenvolvimento Humano Integral, o monsenhor Segundo Tejado Muñoz.

Destaque ainda na comitiva presente em São Salvador da Bahia para a presença do núncio apostólico (representante diplomático da Santa Sé) no Brasil, D. Giovanni d’Aniello; do padre Leonardo di Mauro em representação do comité para as Intervenções Caritativas a favor do Terceiro Mundo, da Conferência Episcopal Italiana; e do presidente cessante do conselho de administração da Fundação, o arcebispo de La Paz, na Bolívia, D. Edmundo Montero.

Ao longo dos próximos três dias, os trabalhos irão ser coordenados pelo novo secretário do conselho de administração da Fundação ‘Populorum Progressio’ para a América Latina, o padre Luis Jiménez.

JCP

Partilhar:
Share