«Campanha da Fraternidade» decorre em todo o país na Quaresma

Brasília, 20 mar 2018 (Ecclesia) – O secretário-geral da Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB) disse à Agência ECCLESIA que a Igreja Católica quer participar na diminuição violência e promoveu a ‘Campanha da Fraternidade 2018’ não para a “combater”, mas para a “superar”.

“A Igreja precisava de fazer algo”, afirmou D. Leonardo Steiner, acrescentando que a campanha nesta quaresma quer “mostrar a raiz da violência”.

Em cada ano, a CNBB promove duas campanhas nacionais: a ‘Campanha para a Evangelização’, no tempo litúrgico do Advento, que prepara o Natal; e, nas semanas que antecedem a Páscoa, durante a Quaresma, a ‘Campanha da Fraternidade’.

“Não podemos combater a violência, mas superar a violência porque não se combate a força com força, como insiste o Santo Padre”, afirmou o secretário-geral da CNBB.

o responsável fala numa realidade brasileira “em conflito”.

“Nós todos experimentamos no Brasil a violência na nossa pele. Nunca conseguiremos superar a violência sem buscarmos uma nova cordialidade. Se não soubermos perdoar não vamos superar a violência”, declarou D. Leonardo Steiner.

Nos últimos dias, o problema da violência ganhou nova visibilidade mundial por causa do assassinato da vereadora do Rio de Janeiro Marielle Franco; D. Leonardo lembrou que morrem por ano quase 60 mil brasileiros por causa da violência, que existe em todos os setores da sociedade.

Para além de análise sobre o tema da superação da violência, a ‘Campanha da Fraternidade’ tem por objetivo recolher fundos, que acontece em todas as paróquias no Domingo de Ramos, para ajudar projetos que atuem no tema de cada ano e que são divulgados no portal da internet da campanha.

PR

Brasil: Papa associa-se a iniciativa da Igreja Católica contra a violência

Partilhar:
Share