«Verdade dos factos deve ser apurada com justiça e transparência», diz secretário-geral da Conferência Episcopal

Cidade do Vaticano, 21 mar 2018 (Ecclesia) – O Papa Francisco nomeou hoje o arcebispo de Uberaba, D. Paulo Mendes Peixoto, como “administrador apostólico” da Diocese de Formosa, cujo bispo foi preso por suspeita de corrupção.

A nomeação, divulgada pela sala de imprensa da Santa Sé, precisa que o novo responsável é nomeado “sede plena et ad nutum Sanctae Sedis”, ou seja D. Ronaldo Ribeiro, bispo de Formosa, continua a ser o bispo diocesano, não se encontrando vaga a sede episcopal.

O administrador apostólico passa a ter a seu cargo toda a gestão da vida da Diocese, por incumbência da Santa Sé.Esta terça-feira, o presidente do Regional Centro-Oeste da Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB) divulgou uma nota sobre a prisão do bispo de Formosa, após denúncias de corrupção na diocese, situada a 80 quilómetros de Brasília.

D. Ronaldo Ribeiro e cinco padres da mesma diocese foram presos na manhã desta segunda-feira no âmbito da ‘Operação Caifás’ do Ministério Público do Estado de Goiás, que investiga um alegado desvio de dinheiro.

O presidente do Regional Centro-Oeste da CNBB, formado pelas dioceses do Estado de Goiás e do Estado Federal de Brasília, referiu que está “unido em oração” à “dor da Igreja diocesana de Formosa”, e deslocou-se à diocese onde decorre a investigação “a pedido da Nunciatura Apostólica no Brasil”.

Já o secretário-geral da CNBB, D. Leonardo Steiner, reagiu a este caso em comunicado, no qual sublinha que “a verdade dos factos deve ser apurada com justiça e transparência”, visando “o bem da igreja particular e do bispo” em causa.

“Convido a todos os fiéis da Igreja a permanecermos unidos em oração, para sermos verdadeiras testemunhas do Evangelho”, acrescenta a nota, que manifesta a solidariedade com o presbitério e os fiéis da diocese.

A Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB) é formada por 18 conferências de bispos por regiões, realiza uma assembleia anual com todos os bispos em Aparecida e tem por objetivo fomentar a “comunhão” entre eles e o trabalho “colegial” e “estudar assuntos de interesse comum, estimulando a ação concorde e a solidariedade entre os Pastores e entre suas Igrejas”, refere o portal a CNBB.

PR/OC

Partilhar:
Share