Encontro no Santuário Nacional de Maipu desafiou as novas gerações a serem «protagonistas de futuro» na sociedade

Santiago, 17 jan 2018 (Ecclesia) – O Papa desafiou hoje no Chile os jovens a serem “protagonistas de futuro” para o seu país, para a Igreja e para o mundo, rejeitando o conformismo que faz estar ‘desligado’ de tudo e de todos.

Num encontro com os mais novos no Santuário Nacional de Maipu, em Santiago, Francisco alertou para o perigo dos jovens vaguarem pela realidade e pela sociedade sem “sonhos” nem “forças”, por pensarem que “não têm nada para dar”.

“Um jovem disse-me que o que o faz ficar de mau humor é quando o telemóvel fica sem bateria ou sem ligação à internet. E quando isso acontece corre à procura de um carregador ou da senha de internet. Com a fé pode acontecer o mesmo, quando perdemos esta ligação a Jesus acabamos por calar os nossos ideais”, frisou o Papa argentino.

“Para o jovem pessimista, o mundo não muda, ele já sabe como tudo vai terminar, volta para a sua consola e segue em frente. Casar? Pensa ele, não vai dar, porque vai acabar mal. Não, não pensem que não têm nada para dar”, exortou Francisco, que depois deixou uma “senha” para que os mais novos sempre que precisem possam voltar a “ligar-se”.

Uma palavra-passe inspirada em Santo Alberto Hurtado, um dos padroeiros do Chile, que dizia que quando precisava de ajuda pensava ‘o que faria Jesus no meu lugar?’.

Assim, o Papa  incentivou os mais novos a serem também os “samaritanos” de hoje, perante os “sofrimentos” desta sociedade, diante de todos os desafios deste tempo, feito de “realidades nada fáceis”.

A começar pelo seu país, que precisa do “melhor dos seus jovens”, da sua “capacidade enorme de mobilização”, recordou.

“Se não amam a vossa pátria, não podem amar a Jesus”, disse Francisco, que pediu aos jovens que encheram o santuário para que não escutem as vozes daqueles que, já “mais velhos”, deixaram de acreditar num mundo diferente, num mundo melhor.

“Aqueles que dizem ‘pensa assim porque é jovem, vai amadurecer, vai-se corromper’. E isto muitas vezes é verdade, acontece, reconheceu o Papa.

“Mas amadurecer é crescer, é fazer crescer os sonhos, os ideais. E não deixar-se comprar por dois tostões. Os grandes, quando pensam assim estão enganados. Amadurecer não é aceitar a injustiça, porque sempre foi assim. Isso é corrupção. Amadurecer é debater ideias, discutir realidades, sem nunca baixar a guarda”, exortou.

Numa altura em que está em preparação o próximo Sínodo dos Bispos em Roma, que em 2019 vai ser dedicado aos jovens, Francisco pediu aos mais novos que sejam também “protagonistas” deste evento.

“Para que a Igreja tenha um rosto jovem, para que não seja a santa avó Igreja. A Igreja Católica precisa que vocês a interpelem, a Igreja Católica no Chile precisa de todos os jovens chilenos, para que esteja mais perto de Jesus”, asseverou.

Os milhares de jovens que estiveram no Santuário Nacional de Maipu, em Santiago, corresponderam a estes apelos e comprometeram-se a “rezar” por Francisco, para que ele “nunca se sinta sozinho no seu ministério”, nem “esgotado nas suas tarefas e missões”.

“Esta é a juventude do Papa”, gritaram os mais novos no Santuário Nacional de Maipu, um dos pontos religiosos mais importantes do Chile, pela relevância histórica do local, onde começou a desenhar-se esta nação tal como é hoje, e por ser dedicado a Nossa Senhora do Carmo, a padroeira do país.

JCP

 

Partilhar:
Share