José Luís Nunes Martins

Não fiques preso às opções que deixas para trás, a verdade é que nunca saberás onde te levariam. Liberta-te.

Não fiques estagnado à espera que os outros e as circunstâncias te empurrem, para depois te sentires inocente e impotente perante o que acontece. Decide-te.

A liberdade é um dom que deve ser bem utilizado. Escolhendo bem. Escolhendo o bem. A vida não é um intervalo de tempo que devemos dedicar apenas a admirar o que nos rodeia. Viver não é sobreviver, é existir, ser autor e protagonista de cada dia e de cada noite. Existir é acertar e errar, perdoar e ser perdoado. Procurando acertar e perdoar cada vez mais.

O sentido da vida é amar, por isso liberta-te de todas as amarras que te petrificam e das culpas pelo que decidiste, dos julgamentos dos outros e de cada uma das limitações que te impõem.

Nasceste único. Faz da tua existência a oportunidade para seres ainda mais autêntico.

Esquece o pouco, o pormenor e o pequeno. Não deixes que nada disto te perturbe. Com tempo e um pouco de bom humor todas essas insignificâncias se desvanecem.

Não percas tempo, forças e concentração a pensar ou a preparar vinganças. Fecha-te à maldade. Pensa no amor de que és capaz. Pensa nos que dependem de ti para serem felizes. Naqueles para quem és dom que anima e força que levanta.

Sabes, a presença dos bons pode sentir-se até mesmo quando estão ausentes.

A suprema liberdade alcança-se quando aprendemos a aceitar o que nos acontece e a responder-lhe sempre com o melhor de nós.

És o que escolhes ser face ao que te acontece, ao que te é dado.

Somos criaturas chamadas a completar a criação de si. Os nossos gestos e palavras constroem-nos… ou destroem-nos.

Não deixes de te decidir.

Decide e esquece tudo o que se perde com a tua decisão. Só assim chegarás aos lugares e corações onde o teu amor faz falta.

 

Partilhar:
Share