Francisco recebeu uma delegação do Patriarcado de Constantinopla

Cidade do Vaticano, 28 jun 2018 (Ecclesia) – O Papa Francisco afirmou hoje que se “assiste a uma progressiva cegueira da fé cristã”, que não inspira “escolhas individuais e políticas públicas”, num encontro com uma delegação do Patriarcado Ecuménico de Constantinopla, no Vaticano.

Na visita, que se realiza pela Solenidade dos Apóstolos Pedro e Paulo, o pontífice alertou para “alguns dos sinais graves de uma realidade trágica” a que não se devem resignar.

“Desprezo pela dignidade da pessoa humana, a idolatria do dinheiro, a propagação da violência, uma visão totalizante da ciência e da tecnologia, a natureza exploração irresponsável dos recursos”, exemplificou.

Segundo o discurso publicado pela Sala de Imprensa da Santa Sé, Francisco recordou que o Patriarcado Ecuménico de Constantinopla e a Igreja Católica “cooperaram em iniciativas que envolvem questões importantes”: “Combate às formas modernas de escravidão, a proteção da criação e a promoção da paz.”

Neste contexto, disse estar “profundamente grato” ao patriarca Bartolomeu I que aceitou o de participar num encontro com os chefes das Igrejas e Comunidades cristãs no Médio Oriente, a 7 de julho, em Bari.

O Papa explicou que o encontro é para “rezar e refletir sobre a trágica situação que aflige tantos irmãos e irmãs daquela região”.

“É minha esperança que haverá um aumento de oportunidades para católicos e ortodoxos trabalharem juntos, rezar juntos e proclamar juntos o Evangelho de Jesus Cristo”, revelou Francisco à delegação do Patriarcado de Constantinopla.

A visita a Roma já é uma tradição e na Solenidade de Santo André, padroeiro patriarcal, o Papa também envia uma delegação à Sede do Patriarcado Ecuménico.

“É um sinal da crescente comunhão que liga a Igreja Católica e o Patriarcado Ecuménico; Recordar os Apóstolos, os seus ensinamentos e testemunho significa recordar as raízes comuns”, disse Francisco.

CB

Partilhar:
Share