Shortlist com 40 obras vai ser divulgada em janeiro de 2019

Lisboa, 07 07 out 2018 (Ecclesia) – O Corpo Nacional de Escutas (CNE) informa que a Capela de Nossa Senhora de Fátima, em Idanha-a-Nova, do atelier Plano Humano Arquitectos, está nomeado para o Prémio Europeu de Arquitectura Contemporânea – Mies van der Rohe Award 2019.

Num comunicado enviado à Agência ECCLESIA, o CNE informa que a obra da Capela de Nossa Senhora de Fátima vai “integrar o conjunto de nomeados pelas diversas organizações profissionais, peritos independentes, e instituições dos países europeus” para a seleção de “uma shortlist de 40 obras que será divulgada em janeiro de 2019”.

Essas obras vão ser “obrigatoriamente visitadas pelo Júri”, para eleger os cinco finalistas, que vão apresentar os seus trabalhos e estar presentes na cerimónia de entrega de prémios, em maio de 2019, em Barcelona.

A Capela de Nossa Senhora de Fátima, no Campo Nacional de Atividades Escutistas de Idanha-a-Nova, foi inaugurada no 23.º acampamento nacional – ACANAC – com mais de 22 mil escuteiros, em 2017.

Segundo o atelier Plano Humano Arquitectos o espaço é constituído por uma estrutura de madeira e zinco que “confere um aspeto exterior simples e protetor”, um ambiente “confortável e acolhedor no interior”; tem um comprimento total de 12 metros e uma altura máxima de 9 metros; a estrutura de 12 vigas é uma alusão aos Apóstolos de Jesus Cristo.

“O altar, a fonte e o caminho de percurso da água, são elementos fixos do edifício, e são constituídos em pedra, material natural e nobre; A cátedra, o ambão, o suporte do círio, a base da imagem de Nossa Senhora de Fátima e os bancos da assembleia são móveis, feitos em madeira maciça”, desenvolve.

Foto Atelier Plano Humano Arquitectos

O Prémio bianual de arquitetura da União Europeia ‘Mies van der Rohe’ é o “mais importante galardão” da arquitetura europeia promovido pela União Europeia e pela Fundação Mies van der Rohe, que tem sede em Barcelona.

“Pretende reconhecer a excelência da arquitetura produzida na Europa em termos sociais, culturais, técnicos, estéticos e construtivos, contemplando diversas tipologias e enquadramento territorial”, informa ainda o Corpo Nacional de Escutas, destacando que na primeira edição foi atribuído ao arquiteto português Álvaro Siza pelo projeto do Banco Borges & Irmão, em Vila do Conde, em 1988.

CB

Partilhar:
Share