Nova Iorque, Estados Unidos da América, 10 jul 2018 (Ecclesia) – O cardeal da Arquidiocese de Nova Iorque afirmou que “tirar as crianças das famílias é contra a Bíblia e antiamericano”, numa a carta aberta enviada a todas as paróquias locais, depois de ter visitado crianças separadas dos pais.

“Foi doloroso ver essas crianças sem seus pais e perceber o caos e traumas que elas têm que enfrentar”, escreveu o cardeal Timothy Dolan.

O responsável visitou algumas crianças que foram separadas dos pais na fronteira com o México e que agora estão num antigo convento do Bronx, com a assistência de instituições de caridade locais.

O arcebispo de Nova Iorque revela que também foi “comovente” o encontro com os profissionais que, “com competência e compaixão”, estão a cuidar das crianças.

D. Timothy Dolan observou que este tema toca profundamente a Igreja não apenas quanto à pastoral mas também no âmbito ético e humanitário e recordou que os católicos já “entraram em cena” muito antes das emergências atuais.

O ‘Vatican News’ divulga que o arcebispo de Nova Iorque destacou o exemplo do Centro Católico de Imigração da Cáritas, no centro de Manhattan, onde a assistência jurídica e a educação chegaram a mais de 10 mil menores que estavam com as suas famílias ou sozinhos e chegaram à cidade nos últimos cinco anos.

Em junho, os bispos mexicanos manifestaram em comunicado a sua “grave preocupação” com a intenção do governo dos Estados Unidos da América separar cerca de “2 mil crianças migrantes” dos seus pais e manifestaram-se pela “unidade das famílias migrantes”.

O documento da Conferência do Episcopado Mexicana alertava que dessa forma “o total de crianças nessa situação sobe para quase 4 mil” desde o ano passado até ao presente.

CB/OC

Partilhar:
Share