Trabalhos do Conselho das Conferências Episcopais Europeias destacaram impacto do voluntariado

Foto: Episkopat.pl

Poznan, Polónia, 15 set 2018 (Ecclesia) – O presidente do Conselho das Conferências Episcopais Europeias (CCEE), cardeal Angelo Bagnasco, defendeu hoje uma nova cultura de solidariedade no continente, capaz de superar o individualismo e os nacionalismos.

“Apesar de uma cultura que nos leva a ser individualistas, separados uns dos outros, como pessoas, como grupos e como Estados. Apesar de tudo isto, mais, por causa de tudo isto, há necessidade de anunciar a esperança que é Jesus, o qual fez de nós um povo novo. É preciso recuperar, com o anúncio de Cristo, a dimensão relacional e, portanto, a dimensão comunitária”, disse o arcebispo italiano, aos jornalistas, no final dos trabalhos da assembleia plenária do CCEE, que decorrem na cidade polaca de Poznan.

O responsável assinalou que a Igreja Católica quer ser uma “consciência crítica” na Europa.

“A Igreja não é perita de geopolítica, por isso, diante de tantos problemas complexos, os bispos comportam-se como pastores, cuja missão é, acima de tudo, Jesus Cristo, plenitude da verdade, fonte do verdadeiro humanismo, e formar as consciências”, precisou.

Para o presidente do CCEE, os dados apresentados durante a assembleia plenária sobre o voluntariado são uma “tradução concreta” do espírito de solidariedade.

No relatório divulgado esta sexta-feira, o CCEE refere que “não existe nenhuma outra instituição na Europa que contribua de forma tão ampla para o voluntariado e promova formas de voluntariado tão diversificadas como a Igreja Católica”.

O vice-presidente do organismo episcopal, cardeal Vicent Nichols, elogiou o papel da Igreja como promotora de voluntariado, “uma parte importante de uma boa sociedade”.

O arcebispo inglês sustentou que os governos têm o dever de “respeitar” o voluntariado e a sua natureza própria, sem o submeter a “ideologias”.

Presente nos trabalhos, o cardeal Marc Ouellet, prefeito da Congregação para os Bispos (Santa Sé), afirmou que “a solidariedade é um valor cristão fundamental”, sublinhando a importância do “testemunho de fraternidade” através do voluntariado, que ajuda a criar uma “cultura global de ajuda recíproca, de acolhimento”.

Foto: Episkopat.pl

A cidade polaca de Poznan acolheu os trabalhos da assembleia anual do CCEE, organismo que engloba representantes de episcopados católicos de 45 países.

A sessão final contou com a presença do presidente da Polónia, Andrzej Duda, recebido com uma manifestação de protesto junto ao palácio arquiepiscopal, marcada por mensagens contra a pedofilia e em favor da separação Igreja-Estado.

Poznan está a celebrar o 1050.º aniversário do primeiro bispado na Polónia, no 100.º aniversário da restauração da independência do país.

O encontro marcou o final do serviço do sacerdote português Duarte da Cunha como secretário-geral do CCEE e contou com a participação do presidente e do secretário da Conferência Episcopal Portuguesa, respetivamente D. Manuel Clemente e padre Manuel Barbosa.

OC

Partilhar:
Share