Almada, 18 out 2018 (Ecclesia) – O Convento dos Capuchos, no Concelho de Almada, na Diocese de Setúbal, vai receber umas Jornadas de Estudo que propõem “uma reflexão sobre as várias realidades e experiências de programação cultural”, entre esta sexta-feira e domingo.

“As V Jornadas de Estudo pretendem, concluir uma reflexão iniciada há quadro anos a partir da exposição permanente do convento – ‘O Convento dos Capuchos, vida, memória, identidade’ – centrando-se agora a discussão nas presenças provisórias e nas várias utilizações deste antigo espaço conventual”, explica o programa do evento enviado hoje à Agência ECCLESIA.

Segundo a organização do evento, a Câmara Municipal de Almada, as jornadas propõem também uma reflexão sobre “outras realidades e experiências de programação cultural”, nacionais e estrangeiras, “facilitadoras de uma discussão” sobre os caminhos de futuro que se podem construir num espaço como o Convento dos Capuchos da Caparica.

Ao longo de três dias, a reflexão vai partir do tema geral ‘a arte vê-se, a arte ouve-se, os sentidos ampliam-se. O convento dos Capuchos entre a memória e a ousadia do futuro’.

O programa começa esta sexta-feira, às 21h00, com Carlos Vargas que vai falar sobre ‘os Festivais e a dinâmica patrimonial. O caso do Festival Ao Largo”, seguindo-se a atuação do ‘Nebuchadnezzar Group’, projeto de jazz contemporâneo, com direção de João Dias Ferreira, sobre ‘As músicas do Festival dos Capuchos, uma interpretação’.

A primeira noite termina com “um olhar” e uma apresentação da exposição ‘Pobreza, Ermo e Contemplação’, dos conventos Arrábidos da Península de Setúbal.

Mo dia seguinte, 20 de outubro, as jornadas começam às 10h00 e terminam com a Companhia de Dança de Almada, estreia absoluta da coreografia de Bruno Duarte, Sub Rosa (18h00), após o debate e a intervenção ‘O Convento dos Capuchos como equipamento municipal de cultura: caminhos de futuro’, da presidente da Câmara Municipal de Almada, Inês de Medeiros, que começa às 17h00.

As quintas Jornadas de Estudo do Convento dos Capuchos da Caparica terminam no domingo, dia 21, depois da visita guiada ao Convento de São Pedro de Alcântara, em Lisboa, a partir das 10h00.

Usado como equipamento cultural, a partir da segunda metade do século XX destacam-se diversas iniciativas – música, ensino, museologia ou às artes plásticas – realizadas no antigo convento: Festival de Música dos Capuchos – 1981 a 2001; Escola nº 2 da Caparica – 1976 a 1987); núcleo museológico de 1951 a 1984; exposições regulares desde 1952.

CB

Partilhar:
Share