Foto: Diocese de Leiria-Fátima

Leiria, 28 dez 2018 (Ecclesia) – O bispo de Leiria-Fátima vai percorrer a diocese em encontros vicariais com os jovens, com o tema «quem és Tu, Senhor?», entre 5 de janeiro e 23 de março de 2019.

Na informação enviada à Agência ECCLESIA, a Diocese de Leiria-Fátima realça que D. António Marto pretende “encontrar os mais novos para os escutar” e fazer-lhes o convite a uma “participação mais ativa na vida das comunidades”.

«Quem és Tu, Senhor?» é a pergunta que serve de ponto de partida para os encontros que vão realizar-se de 5 de janeiro de 2019 a 23 de março.

“Estes encontros vicariais podem ser uma excelente oportunidade para criar dinamismos de pastoral juvenil e vocacional nas paróquias e nas vigararias, ao congregar os elementos das várias paróquias com maior carisma para trabalhar com os jovens e a partir daqui poder estruturar-se um trabalho mais objetivo de pastoral juvenil”, disse o diretor do Departamento diocesano de Pastoral Juvenil e Vocacional (DPJV).

A Diocese de Leiria-Fátima está a viver o primeiro ano de um biénio pastoral dedicado ao tema ‘Jovens, Fé e Vocação’ e uma das iniciativas programadas é um encontro do bispo diocesano com os jovens, nas nove vigararias.

Na sua carta pastoral o cardeal D. António Marto explicou que os encontros vicariais têm como primeira estrutura organizadora e coordenadora o DPJV que preparou um guião que é a base e a orientação às organizações locais, que vão das vigararias às paróquias e a pequenos grupos de trabalho e reflexão.

“Cada vigararia está a trabalhar com metodologias diversas; nalgumas estão a reunir os jovens e a fazer o trabalho preparatório em conjunto; noutras reuniram-se os animadores de jovens e catequistas do 10.º ano de catequese para lançar o trabalho”, explicou o diretor do departamento, o padre André Batista.

No sítio online da Diocese de Leiria-Fátima, o responsável adianta que os encontros destinam-se a todos os jovens, a partir dos 16 anos de idade, “mesmo que não estejam ligados a grupos paroquiais” e é pedida uma “especial mobilização” de grupos paroquiais de jovens, escuteiros e movimentos apostólicos, acólitos, os que fazem a preparação para o Crisma, etc., “sem carácter obrigatório, mas para quem se interesse efetivamente por participar.

CB

Partilhar:
Share