Quando:
3 Dezembro, 2018@17:30
2018-12-03T17:30:00+00:00
2018-12-03T17:45:00+00:00
Onde:
Av. da Ilha da Madeira 1
1400-203 Lisboa
Portugal

Foto: Arlindo Homem

Lisboa, 30 nov 2018 (Ecclesia) – D. Rui Valério, bispo da Diocese das Forças Armadas e de Segurança, vai tomar posse como Capelão-Chefe do Ordinariato Castrense, esta segunda-feira, às 17h30.

Em comunicado enviado à Agência ECCLESIA, o Ordinariato Castrense informa que a cerimónia vai ter lugar no Salão Nobre do Ministério da Defesa Nacional, com a presença dos ministros da Defesa e da Administração Interna.

A Capelania-Mor, de acordo com as disposições do artigo 5.º do Decreto-Lei 251/2009, é um órgão de natureza inter-religiosa integrado no Serviço de Assistência Religiosa das Forças Armadas e das Forças de Segurança, que assegura o regular funcionamento da assistência e compreende na sua composição um capelão-chefe, por cada confissão professada, que coordena a respetiva assistência religiosa.

A tomada de posse canónica de D. Rui Valério, ordenado bispo no último domingo, vai acontecer na terça-feira, numa cerimónia militar na Calçada da Memória, seguida de uma Missa, às 11h00, presidida pelo prelado.

A Igreja Católica coloca sob a jurisdição do Ordinariato Castrense todos os fiéis militares e também aqueles que, por vínculo da lei civil, se encontram ao serviço das Forças Armadas; são também setores integrantes as Forças de Segurança, ou seja, a Guarda Nacional Republicana e a Polícia de Segurança Pública.

A 27 de outubro, nomeou D. Rui Valério, de 53 anos, como bispo das Forças Armadas e das Forças de Segurança em Portugal, sucedendo no cargo a D. Manuel Linda, atual bispo do Porto.

D. Rui Manuel Sousa Valério é natural da Urgueira, no Concelho de Ourém, e conta no seu percurso com vários anos de serviço junto das forças militares.

Entre 1992 e 1993 foi capelão militar no Hospital da Marinha, serviço que assumiu também na Escola Naval, de 2008 a 2011.

O Serviço de Assistência Religiosa das Forças Armadas e das Forças de Segurança foi regulamentado em 2009, na sequência da Concordata assinada entre Portugal e a Santa Sé em 2004, sendo constituído pela Capelania-Mor e pelos centros de assistência religiosa da Armada, do Exército, da Força Aérea, da Guarda Nacional Republicana e da Polícia de Segurança Pública.

OC

Partilhar:
Share