Projeto envolve para já 20 instituições académicas de 15 países

Cidade do Vaticano, 07 dez 2018 (Ecclesia) – O Vaticano criou um novo Observatório Internacional para a Família, com o objetivo de avaliar e salientar o impacto que a família tem na formação e no desenvolvimento da sociedade.

O projeto, que nasceu de uma proposta do Pontifício Instituto Teológico “João Paulo II” para as Ciências o Matrimônio e a Família, conta neste momento com o envolvimento de 20 instituições académicas de 15 países, que vão fornecer dados recolhidos a nível nacional para alavancar todo este trabalho.

Para os próximos anos, está prevista a realização de um estudo sobre “o papel que as relações familiares desempenham na qualificação da condição de pobreza das pessoas”, tendo como base princípios como “os laços sociais, a coesão social e a solidariedade de proximidade”.

Esta pesquisa terá o seu principal enfoque no eixo família – pobreza e será dividida em dois relatórios a publicar posteriormente: ‘A família e a pobreza relacional’, em maio de 2020, e ‘A Família e a pobreza económica’, em maio de 2021.


A lista do novo Observatório Internacional para a Família, da Santa Sé, integra para já nações como Itália, Espanha, Finlândia, Eslováquia, República Checa, Estados Unidos da América, México, Argentina, Chile, Benim, Quénia e Hong Kong.

Na conferência de apresentação deste projeto, o presidente da Academia para a Vida, do Vaticano, salientou que “a família é uma riqueza da sociedade”, uma célula essencial para a preservação do tecido social.

“Num momento em que a sociedade se está a fragmentar, a família representa a base de tudo. Hoje o prémio Nobel da sustentabilidade deve ser dado às famílias”, defendeu D. Vincenzo Paglia.

O Observatório Internacional para a Família, da Santa Sé, conta também com o envolvimento da Universidade Católica da Múrcia, em Espanha, e do Centro Internacional de Estudos sobre a Família de Milão, em Itália.

“A nossa colaboração não será apenas feita a partir de realidades católicas, mas também com universidades de outras religiões, com organizações não governamentais, com a Cáritas Internacional e com várias realidades familiares”, explicou o diretor do Centro Internacional de Estudos sobre a Família de Milão, Francesco Belletti.

Apesar de já ter uma página online, em inglês, espanhol e italiano, o novo Observatório Internacional para a Família, do Vaticano, inicia oficialmente o seu trabalho em janeiro de 2019.

JCP

Partilhar:
Share