Bispo de Leiria-Fátima presidiu à celebração de ação de graças pelo reconhecimento das virtudes heróicas do cónego Manuel Nunes Formigão

Foto Santuário de Fátima, Missa de ação de graças pelo reconhecimento das virtudes heróicas do cónego Manuel Nunes Formigão

Fátima, 14 jul 2018 (Ecclesia) – O cardeal D. António Marto disse, esta manhã, em Fátima, na cerimónia de ação de graças pelo reconhecimento das virtudes heróicas do cónego Manuel Nunes Formigão que a “santidade é o rosto mais belo da Igreja”.

“A santidade está ao alcance de todos e não está reservada a uma elite porque é para ser vivida na vida quotidiana” disse o bispo de Leiria-Fátima na homilia da celebração, na Basílica de Nossa Senhora do Rosário.

“Todos e cada um, sem exceção, são chamados à santidade: Dos campos de futebol ao parlamento” pronunciou o cardeal D. António Marto.

O cónego Manuel Nunes Formigão foi o fundador da Congregação das Irmãs Reparadoras de Nossa Senhora de Fátima e está a ser recordado, este sábado, numa cerimónia de ação de graças pelo reconhecimento das virtudes heróicas.

A sessão, depois da celebração na Basílica de Nossa Senhora do Rosário, realiza-se uma cantata, às 15h15, na Basílica da Santíssima Trindade, “«As maravilhas de Fátima» o apóstolo de Fátima, Padre Formigão”, refere uma nota enviada à Agência ECCLESIA.

Este tomarense, nascido no primeiro dia de 1883, foi – nas palavras de D. Manuel Mendes da Conceição – “uma trombeta de Deus”.

Depois de batizado na Igreja de João Baptista, na cidade do Nabão, no mesmo ano de nascimento, Manuel Nunes Formigão faz os estudos superiores, em Roma, e é ordenado presbítero naquela cidade italiana a 4 de abril de 1908.

Devido à fama de santidade, a Conferência Episcopal Portuguesa concedeu a anuência (a 16 de Novembro de 2000) para a introdução da causa de beatificação e canonização deste apóstolo de Fátima. A clausura do processo diocesano de canonização realizou-se a 16 de Abril de 2005. Depois de lidas as atas de encerramento do processo, foram fechadas e lacradas as 20 caixas que contêm as provas recolhidas durante esta fase instrutória, num total de mais de seis mil páginas.

O padre Formigão faleceu em Fátima, a 30 de janeiro de 1958 e a 14 de abril deste ano o Papa Francisco assinou o decreto com que o declara venerável.

LFS

Partilhar:
Share