Cardeal D. António Marto confiou «problemas atuais da Igreja» à proteção de Nossa Senhora

D. José Alves, arcebispo emérito de Évora
Foto: Santuário de Fátima

Fátima, 12 ago 2018 (Ecclesia) – O arcebispo emérito de Évora afirmou que “a comunidade é essencial para a vida em geral e também para a vida cristã”, esta noite, na peregrinação aniversária de setembro ao Santuário de Fátima.

“Ninguém pode viver isolado e de costas voltadas para outros homens e mulheres, todos fazemos parte de uma grande família e não podemos estar bem com Deus se não estivermos bem com os irmãos”, disse D. José Alves, na Missa da vigília.

No Recinto de Oração, divulga o Santuário de Fátima, o prelado assinalou que “dar graças a Deus pelos imensos dons que tem concedido ao mundo, ao nosso país e a cada um” é o que congrega os peregrinos na “Casa da Mãe”.

“Meditando na nossa vida, descobriremos que perante as nossas infidelidades, indiferenças e esquecimentos, Deus permanece Pai que nos ama com um amor indefetível e que nos espera para celebrar a festa do encontro e da alegria como fez o pai do filho pródigo”, desenvolveu.

A peregrinação aniversária de setembro evoca a quinta aparição da Virgem aos Pastorinhos, com o tema ‘Tempo de graça e misericórdia: dar graças pelo dom de Fátima’, e conta com a presença de 46 grupos de peregrinos organizados de 18 países.

O arcebispo emérito de Évora explicou que “o Pai Celeste” quer que todos congreguem “na unidade e na comunhão”, porque “a inserção comunitária começa no interior de cada um”.

“Os pais amam ilimitadamente os seus filhos e a maior alegria que podem ter é vê-los a todos unidos e em paz”, observou D. José Alves, na Eucaristia concelebrada por 70 sacerdotes, três bispos e um cardeal.

Depois da procissão das Velas e da Missa Internacional no recinto, a celebração continua durante a noite e madrugada com vários grupos a animar a vigília.

D. António Marto e D. José Alves
Foto: Santuário de Fátima

Horas antes, o bispo de Leiria-Fátima confiou os “problemas atuais da Igreja” à proteção de Nossa Senhora, na Capelinha das Aparições.

“Queremos confiar a Nossa Senhora, nesta peregrinação, os problemas da Igreja que vivemos na atualidade bem como pedir o dom da paz para o mundo, em especial para o Médio Oriente, para a Nicarágua e para a Venezuela”, disse o cardeal D. António Marto na saudação inicial que marcou o início da Peregrinação Internacional Aniversária de setembro.

“Aqui estamos todos em casa: com uma língua que nos une- o amor- e um vínculo muito profundo que nos liga uns aos outros, a Maria e a Deus que é a nossa fé”, disse, na mesma altura, o presidente da celebração, D. José Alves, divulga o Santuário de Fátima.

CB

Partilhar:
Share