Cardeal D. António Marto evoca ainda D. Óscar Romero, «mártir pela Fé»

Fátima, 12 out 2018 (Ecclesia) – O cardeal D. António Marto anunciou hoje em Fátima que o Santuário se vai associar, este domingo, ao “acontecimento inesquecível” da canonização do Papa Paulo VI, o primeiro pontífice a visitar a Cova da Iria.

O responsável adiantou aos jornalistas que a instituição se vai associar “espiritualmente” à proclamação do Papa italiano como santo.

Paulo VI, recordou, foi o primeiro Papa a visitar a Cova da Iria, a 13 de maio de 1967, “por uma decisão total e estritamente pessoal, contra a opinião de toda a Cúria Romana”, como lhe foi contado por um cardeal, ainda hoje vivo.

“Unidade da Igreja e paz no mundo” foram o centro da mensagem que o novo santo deixou em Fátima, há mais de 50 anos.

Segundo D. António Marto, Paulo VI “indicou o caminho do diálogo na relação da Igreja com a modernidade e com as outras religiões”, tendo sido capaz de interpretar os “vários aspetos da interdependência” entre os povos.

Em conferência de imprensa, o responsável evocou a figura do novo santo como um Papa “do concílio e do diálogo”, ao mesmo tempo que recordou o arcebispo salvadorenho, D. Óscar Romero, como “mártir pela fé”, morto quando celebrava a Eucaristia.

“Desde a minha juventude, quando era um jovem padre, fui um admirador de D. Óscar Romero”, referiu aos jornalistas, lamentando que uma “ala da Igreja” tenha procurado “diminuir o alcance do testemunho que deu”.

“É um verdadeiro mártir da fé, dos mártires do século XX a que se refere a Mensagem de Fátima”, acrescentou.

Esta figura, sublinha, convida todos a ser fiéis ao convite do Papa a uma “reforma da Igreja” que coloque no centro “os mais frágeis” e “os mais pobres”.

A cerimónia de canonização decorre este domingo, durante o Sínodo dos Bispos, com a presença de representantes dos episcopados católicos de todo o mundo.

OC

Partilhar:
Share