Padre Vitor Coutinho recorda solidão que marca vida de muitas pessoas

Foto: Fatima.pt

Fátima, 12 fev 2018 (Ecclesia) – O vice-reitor do Santuário de Fátima desafiou este domingo os peregrinos reunidos na Cova da Iria a serem capazes de “tocar a solidão” dos que estão ou se sentem excluídos.

“Pode acontecer que algumas pessoas nos causem repulsa, cuja vida incomoda o modo como queremos ver o mundo, pessoas que podem por em causa o nosso bem-estar, de culturas diferentes, indigentes ou pobres que não queremos ver para preservar a ideia de que tudo está bem, podem ser pessoas doentes ou condenadas pela sociedade” referiu, na homilia da Missa dominical a que presidiu na Basílica da Santíssima Trindade.

A celebração contou com nove grupos de peregrinos inscritos no Departamento de Acolhimento de Peregrinos do Santuário oriundos de Portugal, Espanha, Itália, Polónia e Reino Unido.

O presidente da celebração assinalou que na comunidade cristã “há lugar para todos” e defendeu a necessidade de “fazer como Jesus, assumindo um compromisso, tocando a realidade dos que se sentem excluídos”.

“É preciso que cada um saiba tocar na solidão dos que por qualquer motivo  se sentem e estão excluídos”, sublinhou o padre Vitor Coutinho, numa intervenção citada pelo site do Santuário de Fátima.

“A exclusão não é aceitável por Deus e nenhum individuo é indigno da vida no Reino”, insistiu.

O santuário nacional dedicou uma atenção especial ao 26.º Dia Mundial do Doente, celebrado este domingo; na Eucaristia das 16h30 foi ministrado o sacramento da Santa Unção.

OC

Partilhar:
Share