A instituição “Companheiro” foi a “tábua de salvação” para Mário Manco, depois de ter estado detido durante 14 anos, em Vale dos Judeus. Ao sair da prisão viu-se sozinho, sem ter para onde ir, e o apoio que recebeu fez com que ganhasse a sua autonomia e auto-estima.

Presente em Lisboa há 31 anoso Companheiro ajuda na inserção social de pessoas reclusas e ex-reclusas e, durante todo o ano, trabalha e acredita na conversão de vida, faz acontecer Natal.

Partilhar:
Share