D. Rino Passigato fala em pontificado marcado pela «intensidade» e a identidade latino-americana

Lisboa, 13 mar 2018 (Ecclesia) – O núncio apostólico em Lisboa disse que o 5.º aniversário de pontificado de Francisco, que se celebra hoje, é ocasião de celebrar um Papa próximo e determinado na sua ação.

“É muito fácil para mim ser representante de um Papa assim”, disse D. Rino Passigato à Agência ECCLESIA.

O sucessor de Bento XVI foi eleito a 13 de março de 2013, então com 76 anos de idade, após 15 anos como arcebispo de Buenos Aires.

“Cinco anos de pontificado do Papa Francisco equivalem a 20 anos de pontificados de outros Papas, talvez, pela intensidade do seu pontificado”, observa o representante diplomático da Santa Sé em Portugal.

O arcebispo italiano conheceu o então cardeal Jorge Mario Bergoglio e viveu com ele três semanas, na V Conferência Geral do Episcopal Latino-Americano e das Caraíbas, em Aparecida (Brasil, maio de 2007).

Para D. Rino Passigato, estes trabalhos são a “base” da exortação apostólica ‘Evangelii gaudium’, vista por muitos como o documento programático do atual pontificado.

O diplomata da Santa Sé viveu na Bolívia e no Peru, durante 12 anos, reconhecendo no atual Papa uma “personalidade fortemente latino-americana”.

A relação próxima com o Papa Francisco aprofundou-se na recente viagem pontifícia a Fátima, em maio de 2017, onde o núncio pôde “estar sentado diante dele, nas refeições privadas”, na Casa de Nossa Senhora do Carmo, e “dirigir praticamente a conversa”.

“É uma pessoa de tal forma humana, agradável, respeitosa dos outros, que não coloca nenhuma dificuldade, nenhum embaraço estar com ele”, relata.

O núncio apostólico fala no “privilégio” de servir como representante do Papa Francisco, assinalando a devoção que este “tem por Nossa Senhora, por Nossa Senhora de Fátima em particular”.

“Para mim foi a realização de dois sonhos: o meu, de vir trabalhar em Portugal, à sombra, aos pés de Nossa Senhora de Fátima; e ter a visita de dois Papas”, Bento XVI em 2010 e Francisco em 2017, acrescenta.

Para este responsável, o 5.º aniversário de pontificado é um tempo para que os católicos se unam na oração que o Papa pede sempre por si, com “uma fé imensa no sucessor de Pedro, bispo de Roma”.

“Nós, na Nunciatura, não nos esquecemos, rezamos todos os dias por ele”, conclui.

Nos cinco anos de pontificado, o Papa assinou duas encíclicas (‘Lumen fidei’, sobre a fé, que encerrou um trabalho iniciado por Bento XVI; e ‘Laudato si’, sobre o cuidado da natureza e a ecologia integral); duas exortações apostólicas (‘Evangelii gaudium’ e ‘Amoris laetitia’, após as duas assembleias sinodais dedicadas à família); 23 decretos sob a forma de ‘motu proprio’ (reforma da Cúria Romana, gestão e transparência económica, reforma do processo de nulidade matrimonial, tradução de textos litúrgicos, descentralização nas Conferências Episcopais); presidiu a duas assembleias do Sínodo dos Bispos, sobre a família, e a um Jubileu extraordinário dedicado à Misericórdia.

Francisco realizou até hoje 22 viagens internacionais, com passagem por 33 países, e 17 visitas pastorais na Itália; tem mais de 46 milhões de seguidores no Twitter e mais de 5 milhões no Instagram.

OC

Partilhar:
Share