Papa aceitou renúncia do bispo, que atingiu idade determinada pelo Direito Canónico

Funchal, Madeira, 12 jan 2019 (Ecclesia) – O Papa aceitou hoje a renúncia apresentada pelo bispo do Funchal, D. António Carrilho, que em 2017 atingiu idade determinada pelo Direito Canónico (75 anos) para a resignação ao cargo.

O prelado foi nomeado pelo agora Papa emérito Bento XVI, em março de 2007, para suceder a D. Teodoro de Faria.

D. António Carrilho, de 76 anos, é natural da Diocese do Algarve e foi ordenado padre em 1965, tendo cumprido 12 anos ao serviço das comunidades algarvias.

Depois desse período, esteve integrado em vários serviços da Conferência Episcopal Portuguesa, em Lisboa, nomeadamente enquanto diretor do Secretariado Nacional da Educação Cristã e do Secretariado Geral.

Em 1999 foi ordenado bispo na igreja de S. Pedro do Mar, em Quarteira (Algarve), depois de ter sido nomeado para auxiliar do Porto, onde esteve durante oito anos; a 19 de maio de 2007, tomou posse como bispo do Funchal.

Tem como lema episcopal ‘Faz-te ao Largo’.

D. António Carrilho esteve à frente da Igreja Católica no arquipélago da Madeira durante as celebrações dos 500 anos de criação da Diocese do Funchal (2014), num programa celebrativo em que se destacou o Congresso Internacional dedicado realizado entre os dias 17 e 20 de setembro de 2014; já em 2017 foram assinalados os 500 anos da Sé do Funchal.

Nestes cerca de 12 anos, as ilhas da Madeira e Porto Santo receberam em duas ocasiões a visita da Imagem Peregrina de Nossa Senhora de Fátima (2016 e 2009-2010).

A Diocese assumiu o título “Jornal da Madeira”, agora com publicação online.

OC

Partilhar:
Share